Mudanças climáticas e defesa das águas são discutidas pela Comissão de Relações Internacionais

Richard Lourenço | REDE CÂMARA SP

Reunião da Comissão Extraordinária de Relações Internacionais desta quarta-feira (18/11)

IARA SILVA
HOME OFFICE

A Comissão Extraordinária de Relações Internacionais da Câmara Municipal de São Paulo, recebeu em reunião ordinária na manhã desta quarta-feira (17/11), o secretário-executivo de Mudanças Climáticas de São Paulo, Antonio Fernando Pinheiro Pedro, para falar sobre ações da OIDA (Operação Integrada de Defesa das Águas) e a da COP26 (26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas).

A reunião foi conduzida pelo presidente da Comissão, vereador Aurélio Nomura (PSDB) que iniciou os trabalhos falando da importância de discutir questões sobre o meio ambiente em São Paulo. “É muito difícil falar de sustentabilidade numa cidade que nasceu e cresceu desordenadamente e sem qualquer tipo de planejamento, apesar dos Planos Diretores, das Leis de Ocupação do Solo e uma outra série de ações”, disse Nomura.

Antonio Fernando Pinheiro Pedro agradeceu a oportunidade de falar sobre o assunto e lembrou que o trabalho em conjunto com o Poder Legislativo resultou em políticas públicas municipais de preservação ambiental que valem atualmente. Além disso, comentou sobre os debates levantados durante a COP26, que terminou no último dia 12 de novembro. “Costumo dizer que a COP é aqui. Os resultados, que alguns entenderam até como pífios, não são os resultados altamente positivos que nós estamos aferindo todos os dias na cidade de São Paulo e em várias outras capitais do mundo, vilas e cidades pequenas que estejam empenhadas em aumentar a resiliência de todos aos efeitos das mudanças climáticas”, declarou Antonio Fernando.

Quando perguntado sobre ações para aumentar a captação de águas das chuvas, o secretário listou medidas que vêm sendo tomadas desde o início dos trabalhos na gestão do prefeito Ricardo Nunes. Outra questão discutida foi sobre os mananciais da capital paulista. “Temos quase 6 milhões de habitantes que vivem do abastecimento direto do sistema de mananciais da cidade de São Paulo. Infelizmente estamos verificando a gradativa ocupação dessas áreas por ocupações irregulares e por assentamentos humanos e isto está prejudicando profundamente o abastecimento”, argumentou Pinheiro Pedro, que explicou também que a Prefeitura de São Paulo está fazendo um amplo trabalho de prevenção, fiscalização e controle de ocupações irregulares.

A vereadora Cris Monteiro (NOVO), que é vice-presidente da Comissão, levantou a preocupação com o processo de desocupação dessas áreas. “Há algum plano de recolocação? Algum trabalho com a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento? Como a gente vai recolocar essas pessoas?”, perguntou a parlamentar. O secretário Antonio Fernando explicou que há conversas envolvendo o Governo do Estado e o Governo Federal para fazer um trabalho de reorganização da área de mananciais focada em projetos habitacionais.

Também foram apreciados outros assuntos envolvendo o meio ambiente, como o uso e incentivo de carros elétricos, a gestão de resíduos sólidos e a qualidade do solo no município.

O secretário Antonio Fernando encerrou sua participação pedindo que os parlamentares intercedam por verbas específicas para a pasta durante as discussões de orçamentos anuais e plurianuais.

Participaram também da reunião os vereadores Arselino Tatto (PT) e Professor Toninho Vespoli (PSOL). Clique aqui para assistir à reunião da Comissão na íntegra.

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também