Comitê de Crise do Emprego e da Renda ouve sindicatos

JOTA ABREU
HOME OFFICE

O Comitê Emergencial de Crise do Emprego e da Renda, da Comissão de Finanças e Orçamento, realizou reunião nesta quarta-feira (9/6) para ouvir integrantes de entidades que representam a classe trabalhadora a respeito dos desafios durante o período de atenção sanitária. Participaram da reunião, o presidente do colegiado, vereador Jair Tatto (PT) que conduziu os trabalhos, e os vereadores Isac Félix (PL), Fernando Holiday (NOVO) e Marcelo Messias (MDB).

O comitê foi criado para buscar diálogo dos poderes Legislativo e Executivo com trabalhadores, empresários, fóruns, entidades representativas e conselhos, de modo a permitir que a Câmara, de forma articulada e objetiva, possa propor e promover medidas adicionais em caráter de urgência, para minimizar os efeitos da catástrofe social com a pandemia.

Adriano Lateri, diretor da Força Sindical, disse que o movimento sindical está trabalhando para pressionar as autoridades na realização de ações em benefício de toda a população. Explicou que, diante do cenário caótico do país, também trabalharam na arrecadação de alimentos e que encaminharam para a CUFA (Central Única das Favelas), em Heliópolis, 15 toneladas de alimentos na ação mais recente, no último mês de maio. Além disso, explicou que a entidade definiu uma campanha permanente de arrecadação de alimentos e agasalhos, e ainda defendeu a necessidade do retorno do auxílio emergencial federal de R$ 600, para que seja fornecido até o fim da pandemia.

Representando a UGT (União Geral dos Trabalhadores), participou José Gonzaga da Cruz. Ele fortaleceu a reivindicação do auxílio emergencial, e disse que para o país ter estabilidade, governança, crescimento de emprego e locomoção das pessoas, é preciso vacinar. Cruz ainda relatou a doação de toneladas de cestas básicas através do Sindicato dos Comerciários. E ainda sugeriu discussões na busca por algo que possa minimizar a tributação das pequenas e médias empresas, que são geradoras de 60 a 70% dos empregos no comércio e em várias outras atividades.

Wagner Menezes representou a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e afirmou que a entidade está à disposição para colaborar em todas as pautas levantadas e que acompanha de perto os trabalhos nesse intuito. Ele citou a própria origem, da categoria dos transportes, com participação no Sindicato de Condutores de Guarulhos, que também está realizando ações específicas neste momento.

O vereador Jair Tatto (PT) disse que todos os membros do comitê compreenderam a necessidade de ouvir estas entidades. Segundo ele, a tragédia aconteceu de uma forma tão abrangente que todo mundo está tentando ajudar como pode. “A gente sabe que as centrais e os sindicatos têm se mobilizado no sentido de diminuir um pouco a dor das pessoas”, declarou.

A íntegra da reunião do Comitê pode ser vista aqui.

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também