Aquisição de vacinas cubanas para a cidade é assunto da Comissão de Relações Internacionais

JRaposo | REDE CÂMARA

Reunião extraordinária virtual da Comissão Extraordinária de Relações Internacionais desta quarta-feira (26/5)

JOTA ABREU
HOME OFFICE

A Comissão Extraordinária de Relações Internacionais da Câmara Municipal recebeu nesta quarta-feira (26/5) em reunião extraordinária virtual, o embaixador de Cuba no Brasil, Rolando Antonio Gómez, que tratou sobre o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 naquele país, e as medidas adotadas pelo governo cubano para contenção do contágio pela doença. A reunião foi conduzida pela vice-presidente da comissão, vereadora Cris Monteiro (NOVO), e teve participação do presidente Aurélio Nomura (PSDB) e do vereador Professor Toninho Vespoli (PSOL), autor da sugestão de convite ao embaixador. Também acompanhou o encontro o cônsul de Cuba, Raúl González Segarte.

Atualmente, Cuba tem duas vacinas na fase final de ensaios clínicos, a Soberana II (que deve ser aplicada em duas doses) e a Abdala (duas ou três doses). O país com 11 milhões de habitantes tem até hoje 135 mil casos confirmados de Covid-19, com taxa de recuperação em 94%, e um total de 901 mortos.

Apesar dos baixos níveis, os meses de março e abril registraram aumento de letalidade e contaminação, o que preocupa as autoridades cubanas, segundo Gómez. Por isso, está sendo planejada uma intervenção sanitária a partir de junho para frear o avanço. O país já vacinou aproximadamente 1,1 milhão de pessoas.

Em relação às vacinas, o embaixador disse que todos os testes até o momento apresentaram excelente eficácia. Cerca de 40 países já solicitaram diálogo para compra, e está em curso o planejamento para incrementar a capacidade produtiva para poder compartilhar com o resto do mundo após aprovações de órgãos reguladores. A expectativa é que em julho as vacinas sejam aprovadas, e aplicadas a partir de agosto. Entre os meses de setembro e outubro, os laboratórios cubanos devem apresentá-las às agências internacionais para uso em outras nações. Segundo Rolando Gómez, Cuba tem condições de produzir em grande escala milhões de doses em tempo recorde já a partir de agosto.

Ele ainda ressaltou uma grande esperança, que é uma terceira vacina, também em fase final de testes, chamada Soberana Plus. Este imunizante é o primeiro concebido para aplicação em pessoas convalescentes e pacientes que já tiveram a doença, e preparado para proteger contra qualquer nova cepa que possa surgir do coronavírus.

Sobre a eventual compra de doses pela cidade de São Paulo, o embaixador disse que já foram iniciadas conversações intermediadas entre a Prefeitura de São Paulo e os laboratórios cubanos que estão desenvolvendo as vacinas. “Temos nos relacionado com proximidade, cordialidade e amizade com a cidade a respeito da aquisição de vacinas. Cuba deseja colaborar com tudo o que estiver ao seu alcance com as nossas vacinas”, declarou.

A íntegra da reunião pode ser conferida aqui.

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também