Conselhos Gestores dos Parques Municipais são discutidos em audiência pública da Comissão de Finanças

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Na manhã desta quarta-feira (8/9), a Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo realizou Audiência Pública sobre nove PLs (Projetos de Lei) em tramitação no colegiado.

Uma das propostas discutidas na audiência foi o PL 420/2018, de autoria do ex-vereador Gilberto Natalini (sem partido) e coautoria do vereador Eduardo Suplicy (PT) e do ex-vereador Reis (PT).

O projeto altera o parágrafo 2º do artigo 11 da lei nº 16.899, de 24 de maio de 2018, e visa recolocar aos Conselhos Gestores dos Parques Municipais as funções deliberativas, consultivas, normativas ou fiscalizadoras, que haviam sido retiradas desses órgãos.

Durante a audiência, a conselheira suplente do Parque da Aclimação e membro do Fórum Verde Permanente de Parques, Praças e Áreas Verdes, Cláudia Santana Martins, defendeu o projeto. “É muito importante que se reinclua o termo ‘funções deliberativas’ na lei, para que os conselhos possam atuar de forma democrática e autônoma, auxiliando na gestão dos nossos parques”, concluiu Martins.

Na mesma linha se manifestou Débora Iacono, participante do Fórum Verde Permanente e conselheira do Parque Ibirapuera. “Há a necessidade da participação popular sim. Há a necessidade de que seja tudo muito transparente. E quando não há uma participação popular, a transparência não ocorre num todo. Então é muito importante a participação popular e reitero a extrema necessidade de reincluir o termo ‘poder deliberativo’ para os Conselhos Gestores”, pontuou Débora.

Também se posicionaram favoravelmente ao projeto Vera Lúcia Real do Carmo, conselheira do Parque do Ibirapuera, Sylvia Mielnik, integrante do Fórum Verde Permanente e conselheira do Parque Ibirapuera, e Jupira Cauhy, integrante do Comitê de Frequentadores de Praças.

Outros projetos

Participante da audiência, o auditor-fiscal Márcio Ricardo Juliano de Albuquerque, representante da Secretaria Municipal da Fazenda, se manifestou em cinco projetos que tratavam de taxas, isenções ou incentivos fiscais. Em suas falas, Albuquerque apresentou os argumentos da Secretaria da Fazenda para o não prosseguimento das proposituras.

Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente da Comissão de Finanças, vereador Jair Tatto (PT). Também participaram os vereadores Eduardo Suplicy (PT), Janaína Lima (NOVO) e Luana Alves (PSOL). A íntegra da Audiência Pública pode ser conferida aqui.

Uma Contribuição

Vera Lúcia Real do Carmo

– reavaliar políticas internas de remuneração e distribuição de lucros.
– garantir boas condições de trabalho a todos os funcionários incluindo fornecedores.
-desenvolver produtos ou serviços para melhorar a qualidade de vida de pessoas menos favorecidos.
– participar da elaboração de propostas de intervenção pública para o combate à pobreza.
– atuar em projetos sociais que enfrentam o problema

Responder

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também