Fale com seu vereador

Biografia

Reeleito com 167.427 votos, a maior votação recebida por um candidato a vereador nas eleições de 2020, Eduardo Matarazzo Suplicy inicia em 2021 seu terceiro mandato na Câmara Municipal de São Paulo.

Economista, administrador de empresas e professor universitário, nasceu em São Paulo no dia 21 de junho de 1941. É filho do corretor de café Paulo Cochrane Suplicy e Filomena Matarazzo (neta do conde Francesco Matarazzo).

Eduardo Suplicy é formado em administração de empresas na Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas e em economia na Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos.

Entre os anos 60 e 70, foi professor-visitante na Universidade de Stanford, também nos Estados Unidos. Tornou-se professor da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas em 1966, onde chegou a professor-titular e lá lecionou até se aposentar em 2012.

Ocupou o cargo de editor de economia na revista Visão. Ainda no jornalismo, colaborou com artigos para o jornal Última Hora e foi redator e analista de assuntos econômicos da Folha de S. Paulo.

Carreira política


A carreira política começou em 1977, quando se filiou ao MDB (Movimento Democrático Brasileiro). No ano seguinte, disputou a sua primeira eleição para deputado estadual, elegendo-se como o segundo mais votado.

Em 1980, participa da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), em 10 de fevereiro. Foi pelo partido que se elegeu deputado federal dois anos depois.

Suplicy foi candidato a prefeito de São Paulo em 1985, em sua primeira disputa para um cargo majoritário. No ano seguinte, candidatou-se a governador do Estado.

Voltou a ocupar cargo público ao se eleger vereador em São Paulo em 1988, sendo o mais votado, alcançando 201.549 votos. Ao tomar posse, em 1989, foi eleito presidente da Câmara de São Paulo.

Atuação legislativa


A passagem pelo Legislativo paulistano foi curta, já que Suplicy se tornou o primeiro senador do PT eleito, em 1990. E foi no Senado, no ano seguinte, que ele elaborou e divulgou um de seus principais projetos, o Programa de Garantia de Renda Mínima, aprovado por todos os partidos.

Em 1992, tentou mais uma vez chegar ao cargo de prefeito de São Paulo, mas não foi eleito. Entretanto, em 1998, mais uma vez mostrou-se um campeão de votos para cargos legislativos. Suplicy foi reeleito senador pelo Estado de São Paulo com 6.718.463 votos, a maior votação para o posto na história.

Após disputar as prévias para indicar o candidato do PT à Presidência da República, concorrendo com Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, conseguiu uma de suas principais vitórias como senador, dois anos depois: o presidente Lula sancionou a lei 10.835/2004, instituindo a Renda Básica de Cidadania.

Reeleito para um terceiro mandato para o Senado, em 2006, obteve 8.986.803 votos, permanecendo no cargo até 2014. No ano seguinte, foi convidado pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, a assumir a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de São Paulo, cargo que ocupou até março de 2016.

Candidato a vereador nas eleições de 2016, foi eleito com 301.446 votos. E, novamente, teve a maior votação da eleição para o Legislativo paulistano.


Nota: Este texto foi produzido por e é de responsabilidade do gabinete de Eduardo Suplicy.