Comissão de Administração Pública realizará audiência sobre volta às aulas na rede particular

Afonso Braga | REDE CÂMARA

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Foi aprovada nesta quarta-feira (9/9), em reunião ordinária semipresencial da Comissão de Administração Pública, a realização de Audiência Pública para discutir os protocolos necessários para a reabertura das escolas de rede de ensino privado na capital paulista.

Para a audiência, marcada para a próxima segunda-feira (14/9) às 9h30, serão convidados os secretários municipais Edson Aparecido, da Saúde, e Bruno Caetano, da Educação, além de representantes de escolas particulares, pais de alunos e demais interessados.

A realização do debate atende requerimento de autoria do presidente da Comissão, vereador Zé Turin (REPUBLICANOS), aprovado nesta quarta-feira. “O setor privado, hoje, não tem condições de pagar o seu aluguel, já demitiu alguns professores e educadores. Se essas escolas privadas continuarem assim, nós teremos um colapso no ano que vem. A tendência é de fechar muito mais unidades”, justificou Turin.

Presente à reunião, o vereador Alfredinho (PT) se manifestou favorável à discussão, mas contrário à possibilidade de abertura das escolas particulares neste momento. “Esse é um debate que a sociedade tem que fazer, mas eu acho também que não dá para você a escola particular de um jeito e a pública de outro. Ou volta tudo, ou não volta ninguém. Mas você voltar só a particular, que já tem muitas vezes um desnível em relação à pública, vai aumentar esse desnível”, comentou Alfredinho.

Participando virtualmente, o vereador Daniel Annenberg (PSDB) defendeu a necessidade do debate para chegar a melhor solução para a volta às aulas. “Eu até concordo com o vereador Alfredinho que não pode ter dois pesos e duas medidas. Ou voltam todas as escolas ou não volta nenhuma. Não dá para fazer de forma diferente, as particulares das públicas. Portanto, eu concordo que a ideia de fazer a audiência é importante”, afirmou Annenberg.

Na mesma linha, o vereador Gilson Barreto (PSDB) ressaltou a importância de diferentes segmentos da sociedade para a melhor tomada de decisão quanto a volta às aulas. “Tem que abrir sim uma audiência pública para discutir o assunto, com a participação do secretário ou de um representante legal para participar da discussão e ouvir todos os segmentos que vierem. O sentimento é ouvir a sociedade a respeito, sem posicionamento prévio”, completou Barreto.

Na reunião, se manifestaram favoráveis à retomada das atividades do setor de educação privado da capital Débora Borges Almeida, proprietária de uma escola particular na Freguesia do Ó, e Josi Santana, diretora e mantenedora de uma escola particular na Vila Leopoldina.

Também estiveram presentes à reunião desta quarta-feira o vereador Fernando Holiday (PATRIOTA), membro da Comissão de Administração Pública, e o vereador Dalton Silvano (DEM).

Retirada de árvores para obras do Metrô

Ainda na reunião desta quarta-feira, os membros da Comissão de Administração Pública concordaram em realizar no dia 17 de setembro, às 19h, Audiência Pública semipresencial sobre realização de supressão de 355 árvores e intervenção em área de preservação permanente no Complexo Rapadura, localizado no Jardim Têxtil (região da Subprefeitura Aricanduva/ Formosa/ Carrão), para obras da linha 2 – Verde do Metrô.

A realização da audiência é fruto de requerimento de autoria do vereador Gilson Barreto, aprovado pelos vereadores no dia 2 de setembro. Serão convidados representantes do Metrô de São Paulo, do Consórcio Linha 02 Verde – Vila Prudente – Dutra, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, da Secretaria Municipal de Licenciamento, da Secretaria Estadual de Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente, da CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

4 Contribuições

PRISCILA LEMOS Cartas que

Que os pais que precisam da escola tenham o direito de ter para os filhos. E os demais continuem com as aulas online.

PRISCILA LEMOS VARGAS

Que as escolas estejam abertas para os pais que precisam. Aonde já se viu tudo aberto menos as escolas.

Alexsandro Claudio

Os pais que não quer que seu filho va pra escola fica em casa e quem precisa volta.

Alexsandro Claudio

Precisamos ter consciência que muita gente precisa que as aulas volte

Contribuições encerradas.

Veja também