Educação e meio ambiente são debatidos na Sessão Plenária

André Moura / CMSP

Sessão Plenária desta terça-feira (08/10)

MARCO ANTONIO CALEJO
DA REDAÇÃO

Durante a Sessão Plenária desta terça-feira (8/10), alguns problemas ligados à educação na cidade foram discutidos pelos vereadores, que também falaram sobre meio ambiente e outros temas relacionados à cidade de São Paulo.

Educação

Da tribuna do Plenário, o vereador Celso Giannazi (PSOL) falou sobre algumas ações previstas neste mês voltadas à defesa da educação pública da cidade de São Paulo. “É um movimento de luta e resistência pela educação pública de qualidade. São várias ações no mês de outubro, e uma delas é visitar as unidades escolares e as Delegacias Regionais de Ensino”, disse Giannazi.

Ainda sobre o tema da educação, o vereador Prof. Claudio Fonseca (CIDADANIA) criticou pesquisa encomendada pela Secretaria Municipal de Educação. De acordo com o parlamentar, a pasta encaminhou um questionário para ser preenchido pelos pais de alunos das Unidades de Educação Infantil, da rede direta e da rede conveniada da capital paulista. “Como pode ser possível uma família que deixa a criança na unidade, e volta apenas ao final do período, responder questões pertinentes ao tempo em que não está lá vendo e avaliando. Avaliar à distância?”, questionou Fonseca.

Já o vereador Eliseu Gabriel (PSB) defendeu a permanência do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), fundo responsável pela redistribuição de recursos destinados à educação básica do país (creches, pré-escolas, Ensino Fundamental e Ensino Médio, além da Educação de Jovens e Adultos). “O FUNDEB tem um tempo de validade, que termina em 2020. Se não for colocado nada no lugar dele, vai trazer um verdadeiro caos na educação pública no Brasil inteiro, particularmente na cidade de São Paulo, que vai perder R$ 2,3 bilhões”, disse Gabriel.

André Moura / CMSP

Conselho Tutelar

A eleição dos conselheiros tutelares da capital paulista, no último domingo (06/10), foi abordada em discurso pela vereadora Rute Costa (PSD). Rute disse que os critérios para os candidatos realizarem a inscrição não foram coerentes. “A maior parte dos candidatos que levaram a folha de voluntariado, e fosse ligada a algum tipo de igreja, foi imediatamente indeferida. Eles [candidatos] não puderam nem participar do pleito”, afirmou a vereadora, que ainda disse ter entrado com um agravo junto ao Ministério Público, além de ter apresentado pedido de liminar para adiar a eleição.

Meio ambiente

O vereador Gilberto Natalini (PV) cobrou mais rigor na investigação de crimes ambientais na cidade e a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Câmara para investigar o problema. Hoje existem duas em funcionamento, a da Sonegação Tributária, que investiga fraudes de empresas de leasing, factoring e franchising, e a das Antenas, sobre irregularidades na infraestrutura de empresas de telecomunicação.

Para Natalini, o desmatamento poderá acarretar graves consequências para toda a população. “Chamo a atenção de vossas excelências que esse problema que eu estou trazendo aqui não é um problema menor. Ele é, na verdade, um fato que pode prejudicar imensamente a vida na nossa cidade pelo problema no fornecimento de água”, disse o vereador.

Assista a todos os discursos dos vereadores na Sessão Plenária desta terça-feira:

 

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também