Secretária de Segurança Urbana participa da reunião da Comissão de Segurança Pública

CAROL FLORES
HOME OFFICE

A reunião ordinária da Comissão Extraordinária de Segurança Pública, realizada na tarde desta quinta-feira (16/9), contou com a participação da Secretária de Segurança Urbana, Elza Paulino de Souza, para prestar esclarecimentos ao colegiado sobre a aquisição de 10 fuzis e 25 carabinas para a GCM (Guarda Civil Metropolitana), no valor de R$ 400 mil.

Ao início da reunião, o vereador Antonio Donato (PT), que presidiu o encontro e foi o autor do requerimento que solicitou os esclarecimentos da secretária, questionou sobre a estratégia de utilização do armamento adquirido.

Em resposta, a secretária de Segurança Urbana esclareceu que as novas armas serão utilizadas pela Inspetoria de Operações Especiais e que todos os profissionais que irão manusear o armamento passarão por capacitação específica.

A vereadora Silvia da Bancada Feminista (PSOL), perguntou à secretária se o armamento será utilizado em ações na Cracolândia e nas desapropriações e ainda sobre as prioridades de aquisições da GCM.

A Elza Paulino respondeu que em diversas ações a GCM esteve portando armamento pesado, como calibre 12, e nunca precisou fazer nenhum disparo. “O fato de buscarmos uma evolução e atualização do nosso equipamento não vai nos tornar uma instituição que sai por ai dando tiro de fuzil”, ressaltou.

Já sobre outras prioridades da GCM, a secretária explicou que não tem verba para compra de diversos materiais que a corporação necessita e que a parceria com os vereadores é fundamental para esse processo. “Quando o parlamentar nos procura colocamos a ele nossas necessidades, e ele como vereador e dentro daquilo que defende elenca o que quer destinar a nós”, esclareceu a secretária.

O vereador Delegado Palumbo (DEM) que indicou uma emenda para a aquisição das novas armas, disse que o crime hoje em dia está armado de fuzil e que nada mais justo que os guardas e policiais também estejam.

O vereador Milton Ferreira (PODE) ressaltou que a polícia e a guarda têm que estar preparada para prevenção e para a agressão. “Não sou a favor da agressão, mas temos que estar preparados”, disse.

Para assistir à reunião na íntegra, clique aqui.

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também