Comissão de Turismo debate dificuldades dos setores de bares e restaurantes em reunião

Afonso Braga | REDE CÂMARA

Reunião ordinária da Comissão Extraordinária de Apoio ao Desenvolvimento do Turismo, do Lazer e da Gastronomia desta quinta-feira (24/6)

MARCO CALEJO
HOME OFFICE

Diante do atual cenário econômico, empresários de diversos setores enfrentam os efeitos provocados pela pandemia. A crise tem fechado portas, encerrado empresas e gerado desemprego. Em busca de soluções para recuperar as atividades financeiras, a Comissão Extraordinária de Apoio ao Desenvolvimento do Turismo, do Lazer e da Gastronomia se reuniu com representantes de entidades na tarde desta quinta-feira (24/6).

O trabalho da reunião foi coordenado pelo presidente da Comissão, vereador Rodrigo Goulart (PSD). Na abertura do encontro, o parlamentar apresentou os dois temas de discussão. “Os impactos das páginas falsas de Facebook e Instagram sobre os segmentos de bares e restaurantes, e o segundo item é a campanha da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) para a economia de água e de energia elétrica nos estabelecimentos que integram os segmentos de bares e restaurantes”.

Além de Goulart, participaram da reunião os vereadores Fabio Riva (PSDB) e Sansão Pereira (REPUBLICANOS), vice-presidente da Comissão Extraordinária de Apoio ao Desenvolvimento do Turismo, do Lazer e da Gastronomia.

Convidados

Um dos convidados da reunião, o presidente do Conselho Estadual da Abrasel – SP, Percival Maricato, apresentou algumas reivindicações do setor, falou sobre as dificuldades econômicas de bares e restaurantes, tratou dos impactos das fake news e explicou a proposta da campanha para economizar água e energia elétrica.

Também participaram do encontro outros representantes da Abrasel, da SPTuris, empresa de turismo e eventos da cidade de São Paulo, da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) e da ABEOC – SP (Associação Brasileira de Empresas de Eventos).

Fake news

O primeiro tema de discussão repercutiu os impactos causados pelas páginas falsas criadas nas redes sociais. Os conteúdos falsos utilizam o nome de bares e restaurantes com intuito de propagar mentiras e “atrair clientes”. De acordo com Percival, “volta e meia tem fake news agora dizendo que tal restaurante fechou, e quando você vai ver, não fechou coisa nenhuma”.

Maricato também chamou atenção para outro problema que tem ocorrido de forma virtual. “Certos hackers grampeiam o nome do restaurante e começam a vender pelo restaurante na forma delivery. Então, (por exemplo), tem o restaurante X, eles entram lá de uma forma ou de outra, as pessoas pedem um tipo de prato e os hackers mandam. Quem tem a marca mesmo, não está vendendo. Na verdade, é um pirata que está vendendo e o cliente não recebe com a mesma qualidade”.

Em relação às páginas falsas nas redes sociais, o vereador Sansão Pereira sugeriu “pegar a relação desses perfis falsos que nós já temos conhecimento e enviar imediatamente para o Facebook e para o Instagram para que eles cancelem imediatamente isso”.

O vereador Rodrigo Goulart disse que a Comissão fará um levantamento dos perfis falsos junto à Abrasel até a próxima terça-feira (29/6). A partir daí, segundo Goulart, será elaborado um documento oficial assinado por todos os membros do colegiado para ser entregue à empresa responsável pelas redes sociais. “Que se faça o levantamento das páginas falsas e desses golpes aplicados através do Facebook e Instagram, principalmente, mas também através de outras redes sociais”.

Câmara contra fake news

Vale lembrar que em julho de 2020, a Câmara Municipal de São Paulo lançou uma cartilha com o objetivo de orientar a sociedade sobre as implicações de criar e compartilhar informações falsas. Clique aqui para baixar o e-book com a cartilha “Todos contra as fake news”.

Campanha para economizar água e energia elétrica

Sobre a campanha da Abrasel para que bares e restaurantes economizem água e energia elétrica, Percival Maricato explicou que a iniciativa quer conscientizar comerciantes para o uso racional.

“De qualquer forma a economia de água e energia é economizar o meio ambiente, é valorizar”, disse Percival, que também citou a reciclagem do lixo para contribuir com a cidade. “São propostas bastante eficientes e que nós contamos com o apoio da Câmara Municipal. De fato, isso ajuda São Paulo a se transformar, a ser melhor e ter mais qualidade de vida”.

Representando a Sabesp, Samanta Souza, da área comercial e de relacionamento com cliente da Companhia, demonstrou apoio à campanha e se colocou à disposição para a produção de materiais educativos. “Uma campanha de uso consciente de água e energia é sempre bem-vinda, independentemente de qualquer situação, até por respeito ao meio ambiente. A Sabesp, absolutamente, é adepta a esse tipo de ação”.

Reivindicações do setor

Por fim, Maricato apresentou algumas reivindicações de donos de bares e restaurantes da capital paulista. Segundo Percival, a situação dos comerciantes é preocupante. “Na cidade, pelos cálculos mínimos, fecharam 12 mil (bares restaurantes). Sendo que 24 mil pequenos empresários, que investiram nesses estabelecimentos, que acreditaram na economia e na segurança jurídica, perderam os seus patrimônios e estão endividados. Aliás, endividados estão todos. 91% do setor está endividado”.

Percival pediu a ajuda da Câmara para levar a demanda dos comerciantes à Prefeitura de São Paulo.  De acordo com o presidente do Conselho Estadual da Abrasel – SP, os empresários seguem os protocolos sanitários recomendados pelas autoridades e sugerem ampliar a abertura dos estabelecimentos de forma responsável.

Entre as reivindicações estão aumentar a capacidade do local, que hoje é de 40%, e estender o horário de fechamento dos bares e restaurantes, atualmente determinado para as 21h. Os comerciantes também querem a permissão para utilizar a calçada para colocar mesas e cadeiras.

Osnei Augusto, da ABEOC – SP, reiterou as solicitações e afirmou que a retomada é necessária para recuperar a economia. “A abertura de restaurantes e bares garante um atrativo a mais para a nossa cidade e para os nossos visitantes. O quanto antes tivermos uma retomada de todas as atividades, da maneira mais plena e segura possível, a cidade vai conseguir ter esse movimento tão necessário para a nossa economia”.

Assista aqui à reunião da Comissão Extraordinária de Apoio ao Desenvolvimento do Turismo, do Lazer e da Gastronomia.

Veja também