Câmara orienta retomada de medidas restritivas na Casa para evitar contaminação da Covid-19

Afonso Braga | REDE CÂMARA

Colégio de Líderes desta terça-feira (15/12)

MARCO CALEJO
HOME OFFICE

Na tarde desta terça-feira (15/12), em reunião do Colégio de Líderes da Câmara Municipal de São Paulo, lideranças partidárias discutiram implantar novamente medidas mais rígidas de combate à pandemia. Em virtude do crescimento dos casos na capital paulista, o presidente em exercício da Câmara Municipal de São Paulo, vereador Milton Leite (DEM), orientou os parlamentares para que a capacidade dos gabinetes seja reduzida para 20%.

Outra recomendação da Mesa Diretora é retomar os trabalhos da Casa de forma virtual, com o objetivo de evitar aglomeração e manter o distanciamento social dentro do prédio da Câmara de SP.

“Eu pediria aos senhores vereadores que nós voltássemos à prática virtual, que ficássemos em casa. Temos todo o sistema que pode funcionar a partir dos seus escritórios e dos seus lares. Nos dá mais segurança”, disse Milton Leite, que completou. “As sessões e as reuniões de comissões podem ser virtuais. Não há a necessidade de estarmos aglomerados. Não deixaremos de trabalhar”.

Líderes partidários concordaram com a decisão. O vereador Celso Giannazi (PSOL) disse “que Vossa Excelência (vereador Milton Leite) tem toda a razão sobre o aumento da pandemia e evitar aglomeração dentro desta Casa. Eu também me alinho a essa ideia”.

O vereador Paulo Frange (PTB) também se posicionou na reunião. “Eu acho oportuno. Nós voltamos a um nível de pandemia que preocupa. A taxa de transmissão aumento muito. Eu acho que os 20% dos gabinetes é interessante”.

Para o vereador Camilo Cristófaro (PSB), “o que o (vice) presidente da (Câmara) defende, ele está certo”. O parlamentar ressaltou ainda o trabalho do Legislativo paulistano no combate ao novo coronavírus. “Nós demos exemplo. Ninguém deu mais exemplo do que esta Casa”.

Outro vereador que se manifestou foi André Santos (REPUBLICANOS). “Se a gente pode, como Câmara Municipal, responsável que somos, tomar as devidas precauções conforme estão sendo apresentadas aqui, eu acho pertinente”.

Assista aqui à reunião do Colégio de Líderes

Sessão Ordinária

Afonso Braga | REDE CÂMARA

Sessão Plenária desta terça-feira (15/12)

Após a reunião do Colégio de Líderes, vereadores participaram da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de São Paulo. Parlamentares utilizaram a tribuna do Plenário 1º de Maio e do sistema virtual da Casa para discursar sobre temas públicos. A preocupação com o aumento de casos da Covid-19 em todo país foi um dos temas tratados.

Para o líder do PT na Casa, vereador Alfredinho (PT), o governo federal não pode demorar para apresentar um plano de vacinação. “Eu não quero saber se é da Pfizer, se é a chinesa, eu quero saber se vai ter a vacina. O povo não aguenta mais ficar recolhido dentro de casa, ficar nessa insegurança”.

O vereador Caio Miranda Carneiro (DEM), que também utilizou a tribuna do Plenário 1º de Maio, fez um alerta para a população. “Nesse fim de ano, quem puder, não vá para festinha de Réveillon, não vá para a praia aglomerar. Fica com os amigos e com a família em casa, com os devidos cuidados, porque no mundo inteiro (a pandemia) está voltando com tudo no número de casos e de mortes. E eu não quero que isso aconteça aqui no Brasil”.

Também sobre a preocupação com a Covid-19 em todo país, o vereador Antonio Donato (PT) considera a situação “dramática, porque a partir de janeiro de 2021 nós não teremos auxílio emergencial para milhões de brasileiros e brasileiras. E os empregos, ainda estão longe de voltarem”.

A íntegra da Sessão Ordinária desta terça-feira está disponível neste link.

Uma Contribuição

Catia Nunes

Bom dia, acredito que essas medidas restritivas contribuem muito para o combate ao covid, porém deveria se estender à todos que aqui trabalhão, desde a limpeza ao mais graduado, pois o risco é de todos.

Responder

Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também