Moradores de Cidade Tiradentes apresentam demandas para o Orçamento 2020

CMSP

JOTA ABREU

A reforma da sede do Conselho Tutelar, a regularização fundiária e ações culturais para a juventude estiveram entre as principais demandas dos participantes da 13ª Audiência Pública regional para discussão do Orçamento 2020 da cidade de São Paulo.

A audiência, ocorrida na manhã deste sábado (30/11), no CEU (Centro Educacional Unificado) Inácio Monteiro, discutiu investimentos para a Subprefeitura de Cidade Tiradentes, na zona Leste da capital paulista.

O orçamento do município para 2020 está estimado no PL (Projeto de Lei) 647/2019, de autoria do Poder Executivo, em R$ 68,9 bilhões. No total, serão 24 Audiências Públicas para debater o tema, em encontros organizados pela Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara.

A subprefeitura de Cidade Tiradentes tem orçamento estimado em R$ 27,4 milhões para o próximo ano, valor 4% menor do que o definido para este ano. Desse total, mais de R$ 6 milhões estão destinados à manutenção do sistema de drenagem, e R$ 3,5 milhões serão usados para manutenção e gestão de áreas verdes e vegetação arbórea.

Durante a audiência, o líder comunitário Marcos Sniter solicitou a reforma da sede do Conselho Tutelar na região devido a problemas de fiação, pintura, jardinagem e equipamentos. Reclamação semelhante foi feita por Kátia Regina dos Santos, que é conselheira tutelar.

Já Renata da Silva, moradora da região, afirmou acreditar que uma parcela muito grande das residências é de ocupação. Por isso, ela considera que é necessário haver previsão orçamentária para a regularização fundiária e urbanização dessas comunidades. “Pai e mãe de família saem para trabalhar e não sabem se, quando voltarem, ainda terão uma casa. É preciso oferecer acesso a essa documentação para as famílias”, solicitou Renata.

Para o morador João Armindo, o Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes possui problemas para a divulgação das ações e, consequentemente, poucos frequentadores, o que acarreta dificuldades. “O espaço está à beira da falência. Precisamos de mais ações investindo na Cultura para a juventude, com incentivo ao hip hop, ao funk, ao que o jovem se identifica”, sugeriu Armindo.

Elvis da Silva, da comunidade Benfica, chamou atenção para as obras de uma Unidade de Pronto Atendimento na região, abandonadas há três anos. E solicitou recursos para finalização e abertura do equipamento público. Segundo ele, há mais de 600 crianças sem vagas em creche.

Morador do Jardim Vitória, Luiz Carlos de França reivindicou a pavimentação das ruas do bairro. Daniel Isa, por sua vez, chamou atenção para a necessidade de manutenção de guias e sarjetas na Estrada do Iguatemi.

CMSP

Alinhamento viário

A audiência contou com a presença do vereador Alessandro Guedes (PT), presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara; do vereador Senival Moura (PT); do subprefeito de Cidade Tiradentes, Lucas Santos Sorrillo; e do deputado estadual Jorge do Carmo (PT).

Carmo, que também é morador de Cidade Tiradentes, apontou incoerência por conta do aumento do orçamento da cidade como um todo, diante da diminuição dos valores repassados para algumas subprefeituras, como é o caso de Cidade Tiradentes.

O vereador Senival Moura (PT) parabenizou os moradores pela participação. E ressaltou a necessidade de melhorias no alinhamento viário da região. “É necessário observar que essa área merece atenção, porque é tudo bastante antigo e está deteriorado. Houve alguns investimentos no passado, mas atualmente estão parados e precisam voltar”, ressaltou Moura.

O vereador Alessandro Guedes considerou que as audiências são o momento de a população ter voz para se manifestar, criticar, sugerir e mesmo elogiar, assumindo o protagonismo. “Este é o momento de dizer para onde deve ir o dinheiro. Por isso, a comissão optou por fazer tantas Audiências Públicas nas regiões”, disse Guedes.

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também