Moradores da zona sul participam de Audiência Pública sobre o autódromo

André Moura/CMSP

Audiência Pública que discutiu a venda do autódromo de Interlagos – Teatro do CEU Cidade Dutra

EMANUEL BELMIRO
DA REDAÇÃO

A Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Paulo promoveu uma Audiência Pública para discutir o  PL (Projeto de Lei) 705/2017 , do Executivo, que trata da privatização do Complexo de Interlagos. A reunião, que ocorreu na manhã deste sábado (28/4), lotou o teatro do CEU (Centro de Educação Unificado) Cidade Dutra.

Estiveram presentes na reunião, representando o Executivo, Soraya Vallilo, da Secretaria de Desestatização e Leonardo Castro, assessor da Secretaria de Urbanismo. Pelo Legislativo, participaram os vereadores Jair Tatto (PT), Rodrigo Goulart (PSD) e o vice-presidente da Comissão e autor do requerimento solicitando esta Audiência junto à população da região, vereador Alfredinho (PT).

Esta foi a terceira Audiência Pública promovida pela Comissão de Política Urbana para discutir sobre a privatização do autódromo de Interlagos e a primeira fora do Palácio Anchieta.

A decoradora Rosa Santos, que mora bem próximo ao autódromo, fez questão de comparecer e participar da Audiência Pública sobre o PL 705/2017. Ela foi uma das presentes que se inscreveu e contribuiu com o debate sobre o projeto, deixando sua opinião e sugestão.

“Mais gente e mais construções na área do autódromo vão afetar toda a região, porque a infraestrutura de saneamento que existe no local já é bastante precária. E o projeto não fala de resolver primeiro este problema”, afirmou.

Para o líder comunitário, Luiz Álvaro Silva, o espaço deveria servir mais a comunidade, tornando-se um local de lazer e cultura. “Ali deveria ser transformado num parque público e ter um museu que poderia ser o Museu do Automóvel. E adotar ali um sistema de concessão inteligente, mas não vender o autódromo”, disse o líder comunitário.

A representante da Secretaria de Desestatização, Soraya Vallilo, não descartou a possibilidade de serem realizadas alterações no Projeto após ouvir críticas e sugestões das comunidades de Interlagos. “Nós colhemos estas contribuições e propostas da população e sempre estaremos abertos a ouvir, na busca de poder melhorar este projeto”, ressaltou.

A maioria das pessoas presentes na Audiência Pública estava preocupada com a possibilidade de várias famílias, que vivem no entorno do autódromo, serem removidas para desocupação de imóveis. Mas o assessor da secretaria de Urbanismo, Leonardo Castro, fez questão de tranquilizar a todos.

“O Projeto tem como objetivo não remover as pessoas, mas melhorar a qualidade de vida delas. Ele não trás nenhuma proposta de remoção, a não ser em determinados locais que gerem riscos a vida das pessoas. A proposta é eliminar os riscos e qualificar estas comunidades”, afirmou.

O vice-presidente da Comissão, vereador Alfredinho, considerou a Audiência Pública deste sábado bastante proveitosa por conta da grande participação popular.

“Quando a Audiência Pública é no bairro a participação social na reunião é sempre muito boa. E, neste caso, é fundamental que os moradores da região interfiram e discutam o Projeto, pois é a vida de todos os que moram no entorno que será impactada com a venda do Complexo de Interlagos”, disse o vereador.

Veja também