pixel facebook Pular para o conteúdo Pular para o rodapé Pular para o topo
Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.
Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de respostas clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

Câmara instala CPI da Violência contra a Mulher

Por: DANIEL MONTEIRO - DA REDAÇÃO

17 de março de 2020 - 15:50

CPI da Violência contra a Mulher (17/3)

Foi realizada na tarde desta terça-feira (17/3), na Câmara Municipal de São Paulo, a instalação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Violência contra a Mulher. O objetivo da comissão é investigar problemas relacionados à violência contra a mulher na Capital.

Na reunião desta terça-feira, os membros da CPI também elegeram a vereadora Sandra Tadeu (DEM) para presidir os trabalhos da comissão. Para a vice-presidência foi eleita a vereadora Juliana Cardoso (PT), enquanto a relatoria ficará a cargo da vereadora Soninha Francine (CIDADANIA).

Para a presidente da CPI, vereadora Sandra Tadeu, a comissão tem papel essencial no enfrentamento à violência contra a mulher. “O Brasil é o quinto país no mundo com mais casos de agressão e morte de mulheres. Isso é algo que nós temos que discutir sempre porque, apesar da promulgação da Lei do Feminicídio em 2015, há um aumento alarmante no número de casos no país. É preciso conscientizar a população!”, afirmou Sandra Tadeu.

André Bueno / CMSP

VIOLÊNCIA INFANTIL E ASSISTÊNCIA À MULHER

Segundo a vereadora, a CPI também vai dar atenção aos casos de violência infantil. “Em números, mais de 90% dos casos de agressão acontecem contra meninas, crianças e adolescentes. Essa situação causa traumas não apenas para a vida daquela criança, mas até para futuras gerações”, destacou Sandra Tadeu.

Os membros da CPI aprovaram, ainda, requerimento de autoria da vereadora Juliana Cardoso. A parlamentar quer informações, junto às secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social e de Direitos Humanos e Cidadania, sobre os serviços e equipamentos de acolhimento à mulher durante o regime de funcionamento diferenciado dos órgãos públicos municipais, devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19) na cidade de São Paulo.

Ver. Sandra Tadeu (DEM)

“Nossa preocupação é que esse é o tipo de trabalho que não pode parar. Há funcionários ligados à saúde, à segurança, à assistência social, que são responsáveis pelo funcionamento de equipamentos como a Casa da Mulher Brasileira, que não pode ser fechada, pois realiza um trabalho contínuo”, explicou Sandra Tadeu.

Também participaram da reunião desta terça-feira o presidente da Câmara, vereador Eduardo Tuma (PSDB) e a vereadora Noemi Nonato (PL). Acompanharam a instalação da CPI os vereadores André Santos (REPUBLICANOS) e Paulo Frange (PTB).

Iniciativa da ex-vereadora e agora deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL), a CPI da Violência contra a Mulher se reunirá a cada 15 dias, às terças-feiras, entre 11 horas e 13 horas.

Outras notícias relacionadas

Ícone de acessibilidade

Configuração de acessibilidade

Habilitar alto contraste:

Tamanho da fonte:

100%

Orientação de acessibilidade:

Acessar a página Voltar