Fale com seu vereador

Biografia

Eu, Soninha Francine, fiz Magistério no segundo grau e Cinema na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Entre 1990 e 2000 trabalhei na MTV – fui produtora, coordenadora de produção, redatora, diretora de programas e apresentadora. Ajudei a desenvolver, por exemplo, o programa semanal de debates o “Barraco MTV”. O programa reunia em torno de uma mesa cerca de 20 pessoas de perfis bem diferentes.

Em julho de 2000 aceitei convite da TV Cultura para criar um programa para jovens – o “RG”, que falava, por exemplo, de política, cidadania, meio ambiente, arte, cultura, educação. Em 2001 ele saiu do ar.

De 2000 a 2004, também forneci conteúdo para a área jovem da America Online. O trabalho em mídia jovem me rendeu o título de “Jornalista Amiga da Criança”, concedido pela Fundação Abrinq (#orgulho1).

De 99 a 2010 fiz parte da equipe de apresentadores e comentaristas da ESPN-Brasil, além de escrever por dez anos uma coluna semanal no caderno de Esportes da Folha de São Paulo.

Durante dois anos fui comentarista de futebol do sistema Globo/CBN de rádio. Em 2005 e 2007, fui escolhida, por votação na internet, a “melhor comentarista esportiva” no Prêmio Comunique-se.

Soninha Francine # orgulho2: editei um blog na Folha Online. E, em 2007, fiz parte do programa “Saia Justa”, da GNT.

Assino uma coluna na revista mensal “Vida Simples”. A convite da editora Jaboticaba, escrevi o livro – “Por Que Sou Budista”. Em 2005, junto com Raí e Milly Lacombe, lancei o livro “Para Ser Jogador De Futebol”, pela mesma editora. A editora Papirus lançou “Tipo Assim, Adolescente”, relato de um diálogo entre mim, Soninha Francine, e o psiquiatra Jairo Bouer.

Soninha Francine na função pública

Em 2004 me elegi vereadora em São Paulo pelo PT. Entretanto, em 2007, totalmente desgostosa da orientação geral do partido, saí. Fui candidata à prefeitura pelo PPS em 2008, tive quase 297 mil votos e fiquei em quinto lugar. Porém, os quatro primeiros colocados, muito mais conhecidos, tinham mais tempo e dinheiro (Kassab, Marta, Alckmin e Maluf).

Fui Subprefeita da Lapa em 2009 – um sofrimento, mas adorei a experiência. Exerci o cargo de Superintendente da Sutaco (Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades, do governo de São Paulo) de 2011 a 2012, quando saí para novamente concorrer à prefeitura de São Paulo.

Em 2015, fui Coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual do governo do estado de São Paulo. De janeiro a abril de 2017 estive à frente da Secretaria Municipal de Assistência Social e, em seguida, assumi meu segundo mandato