Opinião: Rumo ao bicentenário da Independência do Brasil

VEREADOR AURÉLIO NOMURA (PSDB)

Em 2022, o Brasil comemorará 200 anos da Independência. Assim, a Frente Parlamentar em Comemoração ao Bicentenário da Independência do Brasil, instituída pela Resolução 02/2019, com base no Projeto de Resolução nº 18/2018, de minha autoria, instalada no dia 22 de maio na Câmara Municipal de São Paulo, tem como principal objetivo coordenar as atividades, eventos e projetos relacionados a essa data e, como tarefa primordial, a revitalização do Parque da Independência, no Ipiranga, criado em 1884. Dentre tantos lugares históricos da cidade de São Paulo, é o Ipiranga, talvez, o que guarde maior significado para o país.

A celebração dos 200 anos será um momento importantíssimo para repensar o nosso país e sua história, e isso deve envolver a sociedade em seu conjunto, mostrando os avanços culturais e sociais. Não podemos deixar que fique abandonado aquele conjunto arquitetônico que compõe o Parque da Independência, às margens do córrego do Ipiranga, ponto onde o monarca proclamou a Independência.

No início de maio, o prefeito Bruno Covas assinou o contrato de início das obras na área anexa ao Parque da Independência, que passará por uma ampla revitalização, conforme projeto elaborado pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

Declarado de utilidade pública em 2005, o terreno que fica na rua Bom Pastor, esquina com a rua dos Sorocabanos, abrigou o antigo Instituto Bom Pastor e conta com uma área de 28 mil metros quadrados, que ampliará em 20% o espaço total do Parque da Independência para mais de 200 mil metros quadrados.

No local existe a capela Bom Jesus do Horto, do século 19, também conhecida como Igreja Ortodoxa Russa da Nossa Senhora da Anunciação, a mais antiga da cidade, construída em 1893, hoje tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e o CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo).

Dividido em duas fases, o parque receberá primeiro as obras de recuperação dos acessos de circulação dos pedestres, como a pavimentação, adequação do portão de entrada e reforma de parte do gradil, escadas de acesso e rampas. Já a segunda fase receberá equipamentos de recreação, como a pista de skate, playground infantil, academia de terceira idade, além de uma grande praça e uma arena ao ar livre.

A Casa do Grito receberá um deck de madeira e será conectada a um Edifício de Apoio, que receberá área para café, lanchonete e sanitários, além de um espaço de apoio aos turistas com loja de souvenires e sanitários destinados à vigilância do parque. Outro espaço será destinado à instalação de um viveiro de mudas. Esta área servirá como suporte para a manutenção do parque e a administração do local. Todas essas melhorias serão feitas por meio de intervenção local por mim indicada, no valor de R$ 300 mil.

Lutamos há mais de 15 anos por esta área e agora poderemos comemorar o bicentenário entregando um parque amplo e equipado, além de preservar a história do Brasil.

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também