Proteção ambiental e interesse social marcam audiência em Cidade Ademar

abre

Vereadores ouvem as reivindicações de moradores de Cidade Ademar para a preservação das áreas verdes da região               Foto: Ângelo Dantas / CMSP

JELDEAN SILVEIRA

A proteção de áreas verdes na região da subprefeitura de Cidade Ademar foi o tema mais abordado pelos moradores durante Audiência Pública regional que discutiu a proposta de revisão da Lei de Zoneamento – prevista no Projeto de Lei (PL) 272/2015 – realizada na tarde do último sábado (4/7), no CEU Alvarenga, zona sul da capital. Em contraponto, os movimentos sociais de moradia manifestaram o interesse na manutenção da proposta que destina parte dessas áreas verdes para ZEIS (Zonas Especial de Interesse Social).

O representante do Movimento Parque dos Búfalos, Wesley Rosa, foi um dos que defendeu que áreas as margens da represa Billings sejam preservadas em forma de ZEPAM (Zonas Especial de Proteção Ambiental) e ZPDS (Zonas de Preservação e Desenvolvimento Sustentável). “É uma área de 1 milhão m² onde foram encontradas 18 nascentes da represa que precisam ser preservadas. Nós necessitamos desse parque para compensar o que já sofremos de desgaste ambiental na região e como uma forma de contemplar essa sociedade que não tem se quer um espaço de cultura e lazer, onde vivemos está a margem da vulnerabilidade social”, ressaltou.

Já a representante do MDM  (Movimento de Direito a Moradia) núcleo Cidade Ademar, Nilda Neves, acredita que a área tem capacidade de contemplar as duas propostas, recebendo o parque e as moradias populares. “O que vejo é que será utilizado apenas 30% da área para moradia (ZEIS), nós não defendemos moradia em área de manancial, mas achamos que o projeto não é ruim. É um projeto que respeita o meio ambiente, por que inclusive já foi aprovado pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), então acreditamos que é possível preservar e morar”, afirmou.

O vereador Jair Tatto (PT) defendeu que a revisão da Lei de Zoneamento seja a oportunidade de permitir um desenvolvimento sustentável na região. “É evidente que é uma das regiões mais difíceis da cidade, então temos que trabalhar uma flexibilização ambiental, sem degradar a o meio ambiente, mas procurando aproveitar as áreas da melhor maneira possível para criar um adensamento mais educado socialmente”, disse.

Desenvolvimento econômico

A região no entorno da Av. Cupecê  foi classificada, na proposta da revisão da Lei de Zoneamento, como ZEU (Zona Eixo de Transformação Urbana), o que permite alta densidade construtiva e demográfica promovendo o desenvolvimento econômico da região integrado com transporte público.

“Essa proposta nasceu ainda no PDE (Plano Diretor Estratégico), e é uma grande inovação por se tratar de um corredor de desenvolvimento econômico, por ser uma ligação do município de São Paulo com o ABC paulista, via Diadema e tendo uma vocação para geração de empregos. Se soubermos concentrar a população onde já temos esta infraestrutura instalada teremos uma boa equação para preservação ambiental”, destacou o vereador José Police Neto (PSD).

Outra alternativa para o desenvolvimento econômico dos distritos de Cidade Ademar e Pedreira, foi manifestada pelo técnico em computação, Erasmo Alves da Silva. Morador da região há mais de 40 anos, ele acredita que o desenvolvimento  do entorno da Estrada do Alvarenga irá trazer melhor qualidade de vida para os moradores.  “Acho muito importante que tenha uma atenção especial para essa região. Hoje é uma das alternativas de corredor de transporte e comércio, mas se houver alguma forma de desenvolvimento podemos receber mais escolas, hospitais e até uma universidade que seria muito importante para nós”, disse.

Esse território é classificado na proposta como ZEUP (Zona Eixo de Estruturação da Transformação Urbana Previsto) e ZEUPa (Zona Eixo de Transformação Urbana Previsto Ambiental), áreas que permitem adensamento construtivo alto, com opções para o desenvolvimento econômico, mas que necessita de aprovações futuras. Além de serem necessárias adequações específicas por se tratar de zona de preservação  de mananciais.

A audiência reuniu cerca de 100 pessoas, com 19 inscritos para uso da palavra por 3 minutos. A Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente da Câmara protocolou 24 sugestões ao PL. Os vereadores Jonas Camisa Nova (DEM), Ricardo Nunes (PMDB), Andrea Matarazzo (PSDB), Paulo Frange (PTB), o Deputado Estadual Enio Tatto (PT) e o Subprefeito em exercício de Cidade Ademar, Cícero Faria, também participaram da audiência presidida pelo vereador Gilson Barreto (PSDB).

Para mais informações ou encaminhamento de sugestões acesse: www.saopaulo.sp.leg.br/zoneamento

Ouça a íntegra da audiência pública em Cidade Ademar pela Web Rádio Câmara:

 

Veja também