PL que proíbe fumar narguilé está tramitando na Comissão de Política Urbana

Divulgação
Naquilé
“Uma hora fumando narguilé equivale ao consumo de 100 cigarros comuns”

 

A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação já aprovou. Agora, o Projeto de Lei n° 618/2007, que proíbe as pessoas de fumarem narguilé em locais público, encontra-se tramitando na Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, da Câmara Municipal. O projeto é de autoria do médico e vereador Gilberto Natalini (PSDB). Propus essa proibição com o objetivo de não estimular os jovens ao uso do fumo, que tantos males causam à saúde das pessoas, principalmente dos adolescentes, explicou o vereador. De acordo com Natalini, o tradicional cachimbo narguilé, com fumo aromático ou não, tornou-se uma febre entre os jovens brasileiros e está cada vez mais presente em festas, bares e outros ambientes fechados. Sabe-se que uma hora fumando narguilé equivale ao consumo de 100 cigarros comuns, disse o vereador. O consumo lento e a diluição possibilitam que maiores quantidades de nicotina sejam absorvidas sem causar as náuseas e tonturas que a inalação rápida provoca quando se fuma cigarros.Outro risco é quanto à fumaça, que tanto pode ser tragada ou não. É importante deixar claro que mesmo quando a fumaça não é tragada, a mucosa da boca absorve diretamente a nicotina, alertou Natalini.O narguilé é composto de um fornilho, uma mangueira e um recipiente contendo água perfumada ou não, pelo qual passa a fumaça antes de chegar à boca. No fornilho, uma peça de cerâmica, coloca-se o tabaco, e, por cima deste, o carvão em brasas.OrigemO Narguilé tem origem no Oriente. Uma das versões é a de que o narguilé teria sido inventado na Índia do século XVII, pelo médico Hakim Abul Fath, como um método para retirar as impurezas da fumaça. Quando chegou à China, passou a ser utilizado para fumar o ópio, e assim permaneceu até a revolução comunista, no fim da década de 40. Na mão dos árabes, o cachimbo de água foi rapidamente incorporado para ser apreciado em grupo, acompanhado de café e prosa. Existem evidências históricas de narguilés na Pérsia e na Mesopotâmia. As peças mais primitivas eram feitas com madeira e um coco que fazia o lugar do corpo (o nome origina-se do persa n?rgil, que significa “coco”). Com o desenvolvimento das civilizações e as expansões territoriais (principalmente dos países europeus), o narguilé, já similar ao que conhecemos hoje (com base de cerâmica ou porcelana e corpo de metal), começou a ser divulgado, e trazido junto com especiarias como cravo e canela.As Cruzadas também auxiliaram a espalhar o narguilé pelo mundo, quando os guerreiros sobreviventes traziam-no para seus países.No Brasil, o narguilé foi trazido por alguns imigrantes europeus, e divulgado pelas colônias turca, libanesa e judaica.

Veja também