Comissão de Transporte discute propaganda de TV em ônibus da capital

 

Da frota de ônibus urbano que circula pela cidade de São Paulo, 1.034 deles estão equipados com aparelhos de TV, nos quais são divulgadas propagandas. Para explicar os contratos firmados com empresas de publicidade e o descumprimento da Lei Municipal nº 6.6681/65, que proíbe o uso de aparelhos sonoros ou musicais no interior de veículos de transporte coletivo, o vereador Antônio Donato (PT), integrante da Comissão de Trânsito e Transporte da Câmara Municipal de São Paulo, convidou a responsável pela área de Marketing da São Paulo Transportes (SPTrans), Anna Flávia Vicentini.Respondendo às perguntas dos vereadores Abou Anni (PV), presidente da Comissão, e Senival Moura (PT), Anna informou que desde o dia 21 de julho os aparelhos de TV não emitem mais nenhum som. As mensagens são feitas com imagens e legendas; não existe som nas TVs, garantiu. A representante da SPTrans esclareceu ainda que os contratos de publicidade são feitos por quatro produtoras de televisão e as concessionárias do transporte coletivo da cidade. A SPTrans, a cada três meses, faz uma avaliação do conteúdo das propagandas. Não são permitidos anúncios de bebidas alcoólicas, que firam os bons costumes, política partidária, venda de armas e apologia às drogas, destacou Anna.Ela informou também que a SPTrans recebe, em contrapartida, R$ 16,10 por anúncio e por ônibus. Como está apenas um mês no cargo, Anna não soube informar quanto a empresa recebe por mês nem para onde os recursos são destinados. Como é um valor tão baixo deve entrar no custo operacional, mas vou me informar e darei essas informações à comissão.

Veja também