Câmara instaura sindicância para apurar eventual ofensa racista contra vereador

Afonso Braga | REDE CÂMARA

Coletiva de Imprensa do Presidente da Câmara Municipal de São Paulo, vereador Milton Leite (DEM)

MARCO CALEJO
HOME OFFICE

A Presidência da Câmara Municipal de São Paulo abriu uma sindicância na tarde desta sexta-feira (15/10) para apurar uma eventual agressão racista sofrida pelo vereador Fernando Holiday (NOVO) na Sessão Plenária de quarta-feira (13/10). O parlamentar teria sido ofendido com palavras preconceituosas e de baixo calão por um servidor público que acompanhava o trabalho da galeria do Plenário 1º de Maio.

Em entrevista coletiva, nesta sexta, o chefe do Parlamento paulistano, vereador Milton Leite (DEM), informou que o autor das ofensas, Ivan Ferreira dos Santos Carvalho, é professor da rede municipal de educação infantil e atualmente trabalha no gabinete do vereador Professor Toninho Vespoli (PSOL).

De acordo com Milton, o processo administrativo aberto pela Câmara terá um prazo de 30 dias para apurar o caso. Segundo ainda o presidente da Casa, será feita uma perícia nas imagens do circuito interno para investigar se outras pessoas também proferiram ofensas raciais contra Holiday.

“A Polícia Militar e a GCM (Guarda Civil Metropolitana) farão a identificação se há outros funcionários ou não. Vamos apurar se há outros, não importa se é de direita ou de esquerda. Será apurado. Cada um com uma sindicância que nós vamos fazer”, falou Milton, que criticou a atitude do servidor público. “As exatas palavras da ofensa não mudam que a fala é uma clara agressão ao vereador Holiday, feita por um funcionário que ganha dinheiro público para trabalhar pelo povo. Se houve ofensa racial é pior ainda. Não admitiremos nada disso aqui nesta Casa”.

O vereador Fernando Holiday (NOVO) participou da entrevista coletiva. Ele informou que irá registrar um boletim de ocorrência para a Polícia Civil investigar o caso e fará uma denúncia à Corregedoria da Câmara.

“Registrarei um boletim de ocorrência apresentando este cenário para que a Polícia Civil possa abrir inquérito com base nos dois vídeos que nós tivemos acesso. E também apresentarei uma denúncia à Corregedoria da Câmara pedindo a cassação ou alguma outra punição ao vereador Toninho Vespoli pelo uso indevido dos seus funcionários, independentemente de ter havido ou não, a ofensa racista”, falou Holiday.

Entenda o caso

Na sessão da última quarta-feira (13/10), enquanto o vereador Fernando Holiday (NOVO) discursava na tribuna sobre o PLO (Projeto de Emenda à Lei Orgânica) 7/2021, que prevê a Reforma da Previdência na capital, ele foi ofendido por um munícipe que acompanhava os trabalhos da galeria do Plenário 1º de Maio. Na ocasião, o presidente Milton Leite solicitou imagens do circuito interno do Plenário para identificar o autor da agressão.

Na sessão de quinta-feira (14/10), o parlamentar voltou à tribuna e se posicionou em relação ao ocorrido. “Eu acredito que esta Casa não pode tolerar que dentro do ambiente absolutamente democrático, você tenha um xingamento desse, de tão baixo calão, mas acima de tudo uma injúria racial absurda simplesmente por conta das ideias que alguém defende. Isso é absolutamente inadmissível”.

Veja a íntegra da coletiva neste link

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também