Audiência aborda projeto que cria programa de fisioterapia para idosos

DA REDAÇÃO

A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa realizou nesta sexta-feira (18) audiência pública para discutir os Projetos de Leis (PLs) 373/2016, que cria o Programa de Fisioterapia para Idosos em toda rede pública e municipal de saúde, e o PL 374/2016, que torna obrigatório a fisioterapia para a terceira idade em todos os estabelecimentos privados que oferecem atendimento a população nessa faixa etária.

As propostas, de iniciativa do vereador Ari Friedenbach (PHS), foram defendidas pelos participantes da audiência pública. A integrante do Crefito (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Estado de São Paulo) Renata Rocha explicou os benefícios da atividade para idosos. “A maioria dos pacientes que atendo é da terceira idade e percebo a melhora da qualidade de vida para eles, porque eles deixam de sentir dor, com isso procuraram menos o médico e os gastos com saúde pública são menores. É fundamental discutir a parte da fisioterapia para idosos porque todos nós seremos idosos”, argumentou.

O diretor financeiro do Crefito e professor da Universidade Adventista de São Paulo, Elias Ferreira Porto, elogiou a proposta do vereador. “É de suma importância esses projetos e esperamos que os parlamentares os aprovem e o prefeito sancione para beneficiar milhões de pessoas”, disse.

O Brasil, atualmente, tem cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 65 anos. De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), até 2060 a população nessa faixa etária deve quadruplicar.

O vereador Ari Friedenbach sinalizou para a importância dessas medidas. “Vou me empenhar para que essas propostas sejam aprovadas e para que o prefeito olhe com atenção para esses projetos. Estamos falando de qualidade de vida e redução de custos para o poder público. Ao fazer fisioterapia, evita-se que o idoso seja internado e isso mostra o quanto é fundamental esse tipo de atendimento nas unidades públicas e privadas”, disse.

Veja também