Touradas em São Paulo: Atividade gerava polêmica no século passado

Acervo CMSP

Desenho do projeto do Coliseu Paulista, que seria construído no bairro de Vila Mariana

KAMILA MARINHO
DA REDAÇÃO

Você sabia que no século passado as Touradas eram liberadas em São Paulo? Em dezembro de 1877, o Jornal A Província de São Paulo convidava a população para o que seria um extraordinário espetáculo. O evento teria a participação de toureiros espanhóis e portugueses e de “magníficos bois de raça”, entre eles “o invencível e heroico boi amarelo de Jacareí”.

Apesar de todo o sucesso, uma grande parte da população era contrária à prática. E, no meio de tantas discussões, a Câmara aprovou o Projeto, que se tornou a Lei 956/1906, sancionada pelo então prefeito Antônio da Silva Prado.

Segundo a legislação, ficariam proibidos os espetáculos de tauromaquia (como eram chamadas as touradas). Seis anos após a proibição, em 1912, o empresário Manoel Antonio solicitou a revogação do parágrafo da Lei que havia proibido as touradas na capital. Ele pedia ainda, permissão para construir o Coliseu Paulista, onde ocorreria o espetáculo Feira de Sevilha.

A construção seria erguida na Rua Bernardino de Campos, na Vila Mariana, na época perímetro rural da cidade com capacidade para receber até cinco mil pessoas nas galerias e camarotes.  E, após vários pareceres contrários e favoráveis, a Prefeitura manteve a proibição. “Nenhuma razão econômica ou financeira aconselha a revogação do dispositivo legal citado”, justificou o prefeito Washington Luís, futuro presidente da República, em um despacho de 8 de maio de 1919.

Em 1921, o empresário Francisco Peyres tentou derrubar a proibição e conseguir licença para erguer um circo-anfiteatro provisório, onde seria realizada, segundo ele, uma temporada de diversões de touradas. Peyres alegou que a arena de touros seria de grande utilidade para o País, especialmente para os criadores de todas as espécies de gado, que poderiam exibir nesse espaço seus valiosos exemplares e mostrariam o esforço dos criadores para intensificar a perfeição das raças de gado. Mas, no dia 10 de maio do mesmo ano, a Comissão de Justiça e a Polícia da Câmara Municipal decidiram pelo arquivamento do documento.

Atualmente, as touradas continuam proibidas em São Paulo. A Lei Orgânica do Município, aprovada em 1990, determina que “ficam proibidos os eventos, espetáculos, atos públicos ou privados, que envolvam maus tratos e crueldade de animais”, e a Lei 11.359/1993, deixa claro que rodeios, touradas e similares estão vetados na cidade.

Touradas no Brasil

No Brasil, as touradas foram proibidas pelo presidente Getúlio Vargas em 1934. O decreto vetou a realização de “lutas entre animais da mesma espécie ou de espécie diferente, touradas e simulacros de touradas”. Já a Constituição de 1988 proíbe as práticas que submetam os animais à crueldade.

Veja também