Opinião: A guerra contra a “indústria da multa” de São Paulo

VEREADOR CAMILO CRISTÓFARO (PSB)

A cidade de São Paulo coleciona números extraordinários, afinal, estamos falando da maior cidade do país e da terceira do mundo. Entretanto, nem todos esses expressivos índices são relacionados a coisas positivas, e uma dessas tristes constatações diz respeito à absurda quantidade de multas de trânsito que a capital paulista ostenta.

Segundo dados oficiais, só no ano de 2018, foram lavradas 10.941.845 autuações manuais e eletrônicas no município de São Paulo, que atingiram 26,95% dos veículos que compõem a frota da capital. A arrecadação com multas de trânsito no referido ano totalizaram o valor de R$ 2.012.215.150,00 (dois bilhões, doze milhões, duzentos e quinze mil, cento e cinquenta reais).

Desde o início do nosso mandato, temos trabalhado, incansavelmente, na luta contra essa verdadeira “indústria da multa” que se instalou em nossa cidade, ilustrada pelas famosas pegadinhas disfarçadas de ferramentas legais através de radares não sinalizados, muitas vezes instalados em lugares aonde tais equipamentos jamais poderiam estar, com o único objetivo de confundir o motorista paulistano e induzi-lo a infrações indefensáveis, que darão suporte para uma arrecadação bilionária e que, infelizmente, embora injusta, não tem sido revertida em melhorias para o trânsito e, consequentemente, para a qualidade de vida da nossa população.

Nesta guerra sem sangue, porém, que fere, dia após dia, o trabalhador paulistano, optei por estar ao lado do cidadão e, para tanto, apresentei o Projeto de Lei 291/2019, que obriga o Executivo a prestar contas das receitas originárias das multas de trânsito e de sua destinação. Essa luta é nossa!

 

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também