Ibmec propõe parceria à Comissão de Relações Internacionais da Câmara

Luiz França / CMSP

Comissão de Relações Internacionais (20/8)

LETÍCIA GOMES 
DA REDAÇÃO 

A Comissão Extraordinária de Relações Internacionais recebeu, nesta terça-feira (20/08), a professora Daniela Alves, do curso de Relações Internacionais do Ibmec, faculdade particular com cursos nas áreas de administração, economia e direito, entre outras. Daniela propôs uma parceria técnica da instituição de ensino com a comissão parlamentar da Câmara paulistana.

De acordo com a proposta, os alunos do Ibmec acompanhariam os trabalhos da comissão e realizariam análises sobre os temas tratados nas reuniões. Também fariam sugestões, respeitando as normas de funcionamento do colegiado.

Em sua participação, Daniela chamou atenção para o pioneirismo representado pelo trabalho conjunto proposto. “A ideia é que essa seja uma parceria modelo, que possa incentivar outras instituições universitárias. Esta é uma iniciativa inédita aqui no Brasil, que fortalece as atividades de relações internacionais, em prol do desenvolvimento da cidade de São Paulo”, disse a professora.

Para presidente da comissão, vereadora Janaina Lima (NOVO), a parceria seria de extrema relevância, não só para desenvolvimento da grade curricular, como também seria um resultado tangível na atuação dos alunos para a cidade de São Paulo. “Este é um caminho produtivo para a Comissão de Relações Internacionais, em que é possível notar a importância das comissões extraordinárias, não só para a Câmara Municipal como para cidade”, afirmou Janaina.

A proposta do Ibmec ainda será votada pelos vereadores integrantes da comissão, que decidirão a respeito da parceria.

Visita ao Centro de Culturas Negras

Durante a reunião, o vereador Mario Covas Neto (PODE), vice-presidente da comissão, também propôs a realização de uma visita ao Centro de Culturas Negras do Jabaquara, ligado à Secretaria Municipal de Cultura.

Localizado na zona sul da cidade de São Paulo, o espaço de preservação promove a valorização das culturas afro-brasileiras e, segundo o vereador, encontra-se bastante deteriorado.

 

 

 

 

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também