Câmara lança gestão digital para cortar custos e eliminar 330 mil folhas de papel

Com o objetivo de reduzir custos e dar mais um passo para eliminar o uso de papel nos trâmites internos, a Câmara Municipal de São Paulo lança, nesta quarta-feira (30/10) o PAD (Processo Administrativo Digital).

Além de conferir maior agilidade, o novo sistema de gestão – implantado a custo zero – permitirá à Câmara economizar R$ 220 mil anuais com a digitalização progressiva. De cara, deixarão de ser compradas 330 mil folhas de papel ao ano, além de pastas, cartuchos de impressora e carimbos, entre outros itens.

A tecnologia do PAD teve como base um software livre desenvolvido pelo TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região). Adaptado pelo Legislativo paulistano às suas necessidades, o sistema terá funções semelhantes ao de um software comercial cujo preço de mercado seria de R$ 8 milhões.

Gestão mais eficiente

Além dos ganhos ambientais e financeiros, o PAD representará uma mudança significativa na gestão administrativa da Câmara. Com os volumes físicos, toda a tramitação depende do deslocamento dos arquivos de papel pela Casa, o que impossibilita, por exemplo, que mais de uma pessoa trabalhe ou consulte ao mesmo tempo um determinado processo. O sistema digital permitirá que todos os servidores envolvidos acessem simultaneamente os processos, o que também representará ganhos de escala e produtividade.

Os volumes de papel também demandam espaço físico – em 2018, foram arquivados cerca de 1.650 volumes de processos administrativos, em volumes de 200 folhas. Dessa forma, a preservação dos documentos estará garantida em ambiente digital seguro mantido pela Câmara, da mesma forma como ocorre hoje com os processos impressos.

Processo de modernização

O PAD é mais uma etapa do processo de modernização implantado pelo presidente da Câmara Municipal de São Paulo, vereador Eduardo Tuma (PSDB).

Em abril, a Câmara lançou o Plenário Virtual, sistema de informática pelo qual os vereadores votam projetos de menor complexidade, como homenagens e denominações. Além da maior agilidade e de liberar o Plenário físico para debates mais aprofundados, o Plenário Virtual permite a interação da população durante a tramitação dos projetos.

Ainda na área parlamentar, também já foram informatizados processos como a leitura de papéis no Plenário e o envio de indicações dos vereadores ao Executivo.

A atual gestão também ampliou as ações com impacto ambiental, por meio do Comitê de Sustentabilidade da Câmara. A Casa deixou de comprar copos plásticos de água e café, o que eliminou o uso de 3 milhões de recipientes descartáveis ao ano.

Houve ainda melhora na coleta seletiva de lixo, com a separação, diretamente nas salas e gabinetes, dos materiais utilizados, que são colocados em lixeiras específicas. Com a iniciativa, dobrou o volume de resíduos enviados pela Câmara para reciclagem.

 

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também