Parlamento Metropolitano ganha força com novas adesões

Fábio Jr Lazzari/ CMSP
Fábio Jr Lazzari/ CMSP

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Paulo assinou nesta segunda-feira um acordo de cooperação técnica com 26 cidades da Região Metropolitana. A parceria faz parte das negociações para a criação do Parlamento Metropolitano (ParlaMet), cujo objetivo será buscar soluções para os problemas comuns entre os municípios da Grande São Paulo.

“Já estamos com mais de 60% de adesão ao nosso projeto. Não tenho dúvidas de que até maio conseguiremos agregar os 39 municípios que fazem parte da Região Metropolitana, porque todos sabem o quanto é positivo o trabalho em parceria”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Police Neto (PSDB).

O vereador Netinho de Paula (PCdoB) ressaltou os trabalhos que a Casa tem feito em busca de outros políticos que poderão ajudar nas ações futuras do Parlamento Metropolitano. “Já nos reunimos com o vice-presidente Michel Temer, com o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e também já discutimos o assunto com a Assembléia Legislativa. Todos são parceiros que podem abraçar essa importante causa com a gente”, disse.

As discussões para a concretização do ParlaMet tiveram início há três semanas, quando representantes dos sete municípios do Grande ABC assinaram um acordo com o Legislativo paulistano. Segundo o presidente da Câmara Municipal de Diadema, Laércio Pereira Soares, esse é um passo fundamental para que as dificuldades sejam resolvidas mais rapidamente e para que os problemas comuns sejam debatidos.

“Mesmo com a dificuldade de se locomover de uma cidade a outra, estamos com todos os representantes aqui. Não poderia ser diferente, afinal temos um espaço para discutir os problemas em comum. Estou feliz por podermos fazer algo pelo coletivo”, disse Soares.

“A nossa cidade tem o pior Índice de Desenvolvimento Humano do Estado, por isso temos muita pressa nessa mobilização”, acrescentou o presidente da Câmara Municipal de Carapicuíba, Alexandre Simões Pimentel.

Agenda
Para agilizar a formação do Parlamento Metropolitano, ficou estabelecido que no próximo dia 18 a Mesa Diretora da Câmara de São Paulo e as cidades que assinaram o acordo nesta segunda-feira ficarão responsáveis por convidar os municípios que ainda não aderiram ao projeto. A oficialização do ParlaMet foi marcada para o dia 9 de maio. 

De acordo com Police Neto, é um orgulho participar de uma iniciativa como essa. “A nossa união significa a representação de 20 milhões de brasileiros. Com isso, teremos muito mais facilidade para dialogar com os governos Estadual e Federal para resolver os problemas que enfrentamos”, afirmou.

As 26 cidades que assinaram o acordo técnico são Arujá, Biritiba Mirim, Diadema, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Pirapora do Bom Jesus, Santana do Parnaíba, Rio Grande da Serra, Santa Isabel, São Bernardo do Campo, Suzano, Barueri, Carapicuíba, Ferraz de Vasconcelos, Itapevi, Jandira, Osasco, Poá, Ribeirão Pires, Salesópolis, Santo André, São Caetano do Sul, Mauá, São Vicente e Mairiporã.

Boas expectativas
Em São Vicente, o vereador Caio França (PSB) destacou que um projeto semelhante de parceria entre os municípios da Baixada Santista resultou na resolução de diversos problemas conjuntos. “Há dois anos começamos com esse projeto e conseguimos resolver muitos problemas. Estamos felizes de ter recebido o convite do Police Neto e poderemos contribuir com as nossas experiências”.

O presidente da Câmara de Mairiporã, Eduardo Pereira dos Santos, que aderiu ao acordo nesta segunda-feira, se comprometeu a buscar novas adesões diante das boas expectativas geradas pela instalação do Parlamento Metropolitano. “Conversaremos agora com Francisco Morato, Cajamar, Caieiras e Franco da Rocha sobre a importância deste projeto e sobre quanto nos beneficiará, principalmente na solução de dificuldades como o transporte e os recursos hídricos, disse.

Já o presidente da Câmara de Rio Grande da Serra, Valdemar Asnar Perillo, se disse honrado por fazer parte de uma iniciativa tão importante. “Toda Câmara tem seus problemas, e os nossos são ainda maiores porque temos um orçamento menor. Estou honrado por podermos participar deste acordo, e tenho certeza que através da união de todos, nós, vereadores, teremos mais autoridades para conseguir os recursos para solucionar as questões que afetam os municípios”, afirmou. 

Veja também