Câmara volta a discutir o compartilhamento de automóveis nesta quarta-feira

DA REDAÇÃO

O Projeto de Lei (PL) 421/2015, do vereador José Police Neto (PSD), sobre a regulamentação do compartilhamento de automóveis por meio de aplicativos deverá ser discutido e votado nesta quarta-feira (27/4) pelos vereadores.

A proposta foi aprovada em primeira votação no ano passado e tem como objetivo garantir a segurança, confiabilidade, custo-benefício e incentivo ao compartilhamento de automóveis no município, preferencialmente a partir do acesso às redes digitais pertinentes.

“O sistema de compartilhamento de automóveis oferece a possibilidade de redução do volume de veículos nas ruas, poluição ambiental, do consumo de combustíveis e da demanda por vagas de estacionamento. Assim, a promoção desses modelos é de interesse público”, disse o vereador José Police Neto.

A proposta do parlamentar recebeu da prefeitura uma minuta de substitutivo que prevê algumas mudanças em relação ao projeto original. Entre elas, a aplicação de multas sobre operações clandestinas, o compartilhamento de viagens e o pagamento de uma taxa para que as operadoras dos aplicativos possam se cadastrar junto ao município.

7 Contribuições

Eduardo souza

A uber mesmo prejudicando os taxistas, por outro lado tem tirado muitas gente desempregada nesta cidade, acredito que muitas pessoas saíram da miséria, tem sido na verdade uma porta de escape pra quem Tava procurando emprego e não conseguia

SERGIO LUIZ RAMOS

Boa, noite . Senhores Vereadores sou contra este papo de mobilidade urbana …sou taxista a 20 anos , em SP capital, estas empresas de apps pratica concorrencia desleal ! Vivo só da atividade de taxista …a uber o cidadão trabalha na sua empresa na semana nos finais de semana vão fazer vão praticar concorrência desleal e um crime de falsa, alegação de direito!

Tatiane

Sou usuaria de taxi, e sou completamente contra a Uber ou qualquer outro tipo de empresa que querira substituir o taxi. A uber deve ta pagando muito bem para o Haddad e para o Police Neto, para eles estarem tão enganjados nisso. São carros que não tem fiscalização alguma, pessoas despreparadas,” Taxi é uma profissão nobre” que esta a anos nos atendendo, nunca fizeram para melhorias dos mesmo e agora vem uma empresa de fora e quer acabar com o emprego de vários pais e mães de família que se sustentam a anos desta profissão. Poderiam rever o serviço de taxi e não querer acabar com uma profissão.
Um absurdo isto que esta ocorrendo, os Uber faltam com respeito com taxista, ficam zombando da profissão dos mesmo e hoje não é porque é taxista não tem estudo, muitos tem inglês, faculdade se especializaram em ter um bom atendimento e fazer o seu diferencial.
Agora vem uma empresa de outro pais e quer acabar com a profissão de taxi e ainda zomba dos mesmo, gostaria que fosse feito uma auditoria neste caso pq tenho a certeza que rola muito dinheiro nisto…..Até a rede globo deve esta ganhando muito bem pra falar mal dos taxista e colocar a Uber lá em cima na mídia….INFELIZMENTE ISTO É BRASIL.!!!

Amanda

Senhores vereadores,
– Sou totalmente a favor da lei para legalizar o uso de aplicativos, pois isso dá o direito de escolha ao usuário, além de trazer mais arrecadação ao município e o aumento de empregos, ajudando a economia como um todo.
Não entendo a mobilização dos taxistas contra a legalização, pois o discurso deles é que os valores praticados pelos aplicativos são desleais, mas com a legalização, todos passarão a pagar taxas e os preços serão equiparados.
Conheço muitas e muitas pessoas que passaram por diversas situações desagradáveis com taxistas, o que me faz pensar que essa campanha contra a legalização dos aplicativos tem como real motivo o medo da concorrência, pois enquanto eles tiverem a monopolização desse modal, podem agir e tratar os passageiros como querem.

José Ailton Bernardo Pinheiro

Que aplicativo de carona? os senhores devem saber, que carona não tem custo. Se cobra um valor, não é carona. É transporte de passageiros remunerado. E isto, é de competência do município que o faz através das varias categorias de táxi do município de São Paulo. Me digam, como irão fiscalizar os veículos particulares que estão fazendo a vez de táxi?

Fernando Henrique Sella

SIM ao PL 421/2015! Porque o transporte individual de passageiros NÃO É MONOPÓLIO!

Contribuições encerradas.

Veja também