Boletim aponta desigualdades na Região Metropolitana de SP

O primeiro Boletim Metropolitano de Conjuntura Social e Econômica foi apresentado nesta segunda-feira pelo presidente da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), José Police Neto. Segundo ele, o estudo é inédito e “essencial para a compreensão da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e o que ela representa para o país”.

O boletim, divulgado durante a prestação de contas da Mesa Diretora da Câmara, foi elaborado por conta da criação do Parlamento Metropolitano — órgão de caráter consultivo que reúne as Câmaras das 39 cidades da RMSP com o objetivo de buscar soluções integradas para problemas comuns.  

A Região Metropolitana, segundo o estudo, representa apenas 0,1% da área territorial do Brasil, mas concentra 20% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Apesar da concentração de renda, o boletim destaca que é grande a desigualdade na região. Dos 39 municípios, 22 possuem PIB per capita inferior à média nacional, que é de R$ 16 mil. Barueri apresenta o índice mais alto (R$ 96 mil acima da média nacional) e Francisco Morato o mais baixo (R$ 11 mil abaixo da média).

DESENVOLVIMENTO HUMANO
De acordo com o Boletim de Conjuntura, a RMSP possui desigualdades também no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M). Em 2000, oito municípios da região apresentavam índices abaixo da média brasileira, que era de 0,766, tendo Francisco Morato o menor IDH-M entre as 39 cidades, com 0,738.

O estudo mostra ainda que o IDH-M médio do Estado de São Paulo é de 0,82. Sete municípios paulistas possuem índices acima da média estadual. Além da capital, estão entre eles São Caetano do Sul, Santana do Parnaíba e Cotia.

(06/06/2011 – 17h18)

 

Veja também