Alimentação e sustentabilidade são focos da Câmara

Alimentação e sustentabilidadeAndré Moura / CMSP

Curso sobre alimentação escolar (30/9)

 

A Câmara Municipal de São Paulo recebeu, nesta segunda-feira (30/09), a abertura do curso Programa de Alimentação Escolar e Sustentabilidade. Organizado pela Coordenadoria de Alimentação Escolar da Secretaria Municipal de Educação, o curso é voltado a servidores públicos municipais das áreas de educação e saúde.

Um dos palestrantes do evento, o médico Paulo Saldiva falou sobre a importância da nutrição. “Primeiro, precisamos analisar o sistema produtivo dos alimentos, como eles são feitos e qual a pegada ambiental disso. Isso tanto do ponto de vista das emissões de gases do efeito estufa, quanto do uso de pesticidas”, disse Saldiva.

O médico também chamou atenção para a necessidade de combater a obesidade crescente. Segundo o médico, as crianças têm sido afetadas por problemas relacionados ao excesso de peso, ocasionado por alimentação não balanceada. “Já estamos com mais de 30% das crianças brasileiras acima do peso. Não é incomum vermos crianças com placas de gordura nas artérias ou desenvolvendo o diabetes tipo 2. Isso tudo causado pelo excesso de gordura”, disse Saldiva. Uma das tarefas da educação, diz ele, é ensinar os estudantes a mudar seus hábitos alimentares. “Como ensinamos os futuros cidadãos do mundo a comer melhor e exigir que os alimentos sejam produzidos de forma mais eficiente, mas mudando o parâmetro de consumo?”, questionou.

Para Saldiva, diante desses desafios, o papel da escola é fundamental. “Ainda existe uma enorme desinformação nas gôndolas dos caixas de supermercados, por exemplo, que disponibilizam uma variedade de alimentos com alto teor de açúcar, gordura e sal. Além disso, sem uma rotulagem adequada que informe claramente sobre a composição”, disse o médico. Ele ainda destacou a relevância da atuação dos nutricionistas nas escolas.

Regina Bruhns Rossini Andrade

Educação, alimentação e sustentabilidade

Também palestrante, Regina Bruhns Rossini Andrade, diretora da divisão pedagógica da DRE (Diretoria Regional de Ensino) de Pirituba/Jaraguá, abordou o papel da Secretaria Municipal de Educação nas discussões sobre alimentação e sustentabilidade.

Segundo Regina, o currículo escolar usado na cidade de São Paulo, por exemplo, já destaca a integração da educação e do desenvolvimento sustentável. “Na escola, esse conceito aborda todos os envolvidos no processo escolar. Inclusive porque preparar a merenda é pedagógico, o fazer está carregado de símbolos e simbologias para a criança”, enfatizou a educadora.

 

DANIEL MONTEIRO
DA REDAÇÃO

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também