Encontro discute superação da dislexia

André Bueno/CMSP

Encontro no Auditório Prestes Maia discutiu a dislexia

DOUGLAS MATOS
DA REDAÇÃO

É possível buscar caminhos para vencer na vida. Esse foi o tema de um encontro sobre dislexia, realizado nesta quarta-feira (13/12) na Câmara Municipal de São Paulo. E o nome do evento não foi por acaso: os três organizadores são formados, com pós-graduação, e vieram ao Legislativo paulistano justamente para passar uma mensagem de superação não só aos dislexos, mas a familiares e profissionais da área.

Um deles é o enfermeiro Wellington Moreira Ribeiro. Especializado em saúde coletiva e comunitária, ele contou que teve de passar por uma dezena de escolas para conseguir enfrentar as dificuldades, que começaram cedo, logo no início da fase de alfabetização.

“A dislexia é um distúrbio genético hereditário que atua no sistema nervoso, e que afeta na parte cognitiva da leitura e escrita. As maiores dificuldades ocorrem já na pré-escola. E ao longo da vida é preciso aprender a decodificar as palavras escritas e lidas de uma forma diferente da convencional”.

Hoje, Ribeiro entende que, apesar das barreiras e limitações, há uma palavra simples, cujo significado pode fazer toda a diferença no futuro de um jovem com dislexia.

“Motivação. É disso que ele precisa para conseguir galgar nos estudos e na vida profissional. Quanto mais motivação tiver e quanto mais for despertado o interesse, por exemplo, pela leitura, mais chances ele tem de avançar. Eu e os demais organizadores desse evento somos a prova de que o dislexo tem sim competência e capacidade para atingir níveis elevados e alcançar o sucesso”.

Além da motivação proposta pelo colega da área da saúde, o publicitário Felipe Ponce aposta na informação para dar suporte a pessoas com dislexia. Ele é criador do blog DislexClub. Em um dos seus vídeos mais populares na internet, o youtuber apresenta “cinco vantagens de ser dislexo”, e também divulga dicas úteis para ajudá-los no dia a dia.

“E eu trago, por exemplo, informações jurídicas sobre como garantir direitos de fazer provas com um tempo maior, ou usar equipamentos como calculadoras e leitores nos testes. Como também passei por dificuldades na alfabetização, dou dicas aos pais sobre a melhor forma de ajudar os filhos nos estudos, além de dicas voltadas aos próprios dislexos. Os resultados têm sido maravilhosos. Tem gente do Brasil, e até de fora, que vêm falar comigo. E eventos como esse aqui também contribuem muito nesse sentido”.

De acordo com o também publicitário Victor de Queiroz Chagas, a reunião na Câmara marcou o lançamento da ‘Liga dos Dislexos Criativos’, uma iniciativa criada com o objetivo de combater o preconceito e ampliar a divulgação de informações úteis, como livros, congressos e palestras em todo o País.

André Bueno/CMSP

Janaina Lima

O encontro, no Auditório Prestes Maia, teve o apoio do gabinete da vereadora Janaina Lima (Novo). A parlamentar lembrou que a dislexia atinge mais de 7% das crianças e chamou a atenção para a importância do diagnóstico precoce, seguido pelo acompanhamento profissional adequado.

“Quanto antes for diagnosticado, mais a política pública pode influenciar no desenvolvimento delas. Aqui nessa Casa nós aprovamos o marco legal da primeira infância. E dentro dessa Lei, está clara a importância dos estímulos para que essas crianças tenham seu desenvolvimento integral garantido. A Lei contribui exatamente nesse sentido, a fim de que a gente possa dar a elas a possibilidade de trilhar caminhos e vencer na vida com igualdade de oportunidades”, disse.

 

One Comment

Selma Elias da Silva

A minha filha tem Dilesxia faz provas orais, suas maneiras de aprendizagem são diferentes além de um Distúrbios visual que fica incomodando, imperativa também, mas porém sua memorização vai além de uma criança normal.

Comentários estão fechados

Veja também