Coronavírus: reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza na capital

MARIANE MANSUIDO
HOME OFFICE

A partir desta segunda-feira (06/7), bares, restaurantes e salões de beleza da cidade de São Paulo podem retomar as atividades com atendimento presencial do público, seguindo os novos protocolos e regras estabelecidos pelo governo municipal e estadual no último sábado (04/7).

Com a entrada da capital paulista na fase 3 – Amarela do Plano São Paulo, que prevê a retomada econômica com a flexibilização gradual dos serviços, esses estabelecimentos poderão reabrir desde que cumpram as adequações determinadas, como o funcionamento de seis horas diárias – respeitando o limite das 17h por decreto do governo estadual -, e ocupação máxima de 40% da capacidade.

Presidente da Câmara Municipal, o vereador Eduardo Tuma (PSDB), esteve presente na assinatura dos novos protocolos, juntamente com as entidades setoriais e demais autoridades públicas, e fez um apelo ao governo estadual para que faça a revisão do horário limite de funcionamento. “Existem restaurantes na cidade de São Paulo que só abrem no horário noturno”, argumentou Tuma. “Pizzarias, restaurantes japoneses, por exemplo, que só abrem no período noturno muitos deles, vão obrigatoriamente continuar fechados”, disse o vereador.

Ainda que no decreto da Prefeitura o horário de funcionamento estabelecido seja das 06h às 22h, o que prevalece é a determinação do governo do Estado, que restringe o horário até as 17h. Entre outras regras para a reabertura de bares e restaurantes, estão:

  • O estabelecimento deve dar preferência para as vendas on-line, evitando ao máximo a presença de clientes no local;
  • A capacidade de ocupação será reduzida a 40% enquanto a capital estiver na classificação amarela do Plano São Paulo e a 60% na classificação verde;
  • Durante a fase amarela, está proibido o atendimento a clientes que estejam consumindo os produtos nas calçadas;
  • As mesas não poderão ser ocupadas por mais de seis pessoas e devem ter 2 metros de distância entre elas;
  • Os clientes só poderão consumir os alimentos dentro dos estabelecimentos se todos estiverem sentados;
  • As portas e janelas deverão estar preferivelmente abertas, privilegiando a ventilação natural e minimizando o manuseio de maçanetas e fechaduras;
  • Os cardápios deverão ser disponibilizados por meio de plataformas digitais ou cardápios de grande porte e visibilidade dispostos nas paredes do estabelecimento;
  • Os restaurantes que atuam com a opção de self-service e com sistema de pedidos para consumo no interior deverão disponibilizar garçons e colaboradores para servir os clientes devidamente paramentados com equipamentos de proteção individual;
  • Funcionários que apresentarem sintomas de gripe precisarão ser testados antes de voltar ao trabalho.

Os cuidados sanitários adotados desde o início da pandemia também continuam valendo, como a higienização e desinfecção dos ambientes, marcação no piso para filas, não realização de eventos, evitar aglomerações, instalação de barreiras acrílicas nos caixas, disponibilização de álcool em gel, higienização de maquininhas de cartão de crédito, utilização de máscaras, entre outros.

Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também