Contrato de iluminação para São Paulo é discutido na Comissão de Segurança

André Moura / CMSP

Reunião da Comissão de Segurança Pública (06/12)

LETÍCIA GOMES
DA REDAÇÃO 

Comissão Extraordinária de Segurança Pública recebeu, nesta quinta-feira (5/12), Marcos Souza, presidente da ILUME (Departamento de Iluminação Pública da cidade de São Paulo). O objetivo da reunião foi discutir questões ligadas à iluminação pública municipal e a retomada da PPP (Parceria Público-Privada) da Iluminação.

Marcos Souza, presidente da ILUME

A PPP da Iluminação teve início em 2015, com o objetivo de substituir as lâmpadas de vapor de sódio por LED, com o intuito de reduzir o índice de criminalidade e o custo com energia elétrica da cidade. Após quatro anos da assinatura do contrato, a Prefeitura de São Paulo retomou a parceria, mediante a liberação, em caráter provisório, da Justiça.

Hoje o contrato de iluminação em vigor, do Consórcio Ilumina São Paulo, prevê a instalação de novos pontos de iluminação e a modernização dos já existentes. Os serviços de manutenção, em andamento, também fazem parte do acordo.

As regiões tidas como prioritárias são aquelas que mais sofrem com o alto índice de criminalidade, entre elas oito subprefeituras, incluindo Campo Limpo, na zona Sul; São Mateus, na zona Leste; e Brasilândia, na zona Norte de São Paulo.

“Iniciamos a implantação da iluminação pública em áreas prioritárias com base em relatório da Secretaria de Segurança do Estado, o Infrocrim, das regiões com maior índice de criminalidade. Iniciamos com ampliação nos locais onde não existe iluminação pública”, disse Souza.

Para o vereador Reis (PT), que presidiu a reunião, a iluminação é um dos itens de prevenção primária contra a criminalidade. Os vereadores esperam que, com a deliberação da Justiça, os resultados sejam mais rápidos. “Eles pegaram apenas dez regiões, acredito que se deve ampliar um pouco mais para dar prioridade. Espero que os 20 mil pontos [que faltam à cidade] sejam instalados o quanto antes para garantir a segurança da população”, concluiu Reis.

A expectativa da ILUME é que, a partir de janeiro de 2020, todos os pontos de iluminação da cidade de São Paulo sejam trocados por LED, o que reduzirá o consumo de energia da capital paulista.

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também