Brasil ultrapassa 700 mil casos de Covid-19

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Com 18.912 novos diagnósticos do novo coronavírus (causador da Covid-19) registrados nas últimas 24 horas, segundo boletim diário divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (8/6), o Brasil chegou a 710.670 casos confirmados da doença desde começo da pandemia no país.

No mesmo período, também foram registrados 679 óbitos provocados pela Covid-19, totalizando 37.124 vítimas fatais em território brasileiro.

Ainda epicentro da pandemia no Brasil, o Estado de São Paulo registra nesta segunda-feira um total de 9.188 óbitos e 144.593 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da pandemia.

Em relação ao sistema de saúde paulista, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) voltados ao tratamento do novo coronavírus é de 67,5% no Estado e de 75,5% na Grande São Paulo.

No último domingo (7/6), o isolamento social no Estado de São Paulo chegou a 52%, enquanto na Capital o índice atingiu 53% dos habitantes. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

MAIS SOBRE O CORONAVÍRUS

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (8/6), o Governo do Estado anunciou que a capacidade diária de testes do novo coronavírus em todo o território paulista deverá girar em torno de 30 mil exames com a inclusão de laboratórios privados e empresas.

Atualmente, São Paulo tem capacidade para processar 8 mil testes diários e estima contabilizar ao menos outras 20 mil checagens promovidas pela iniciativa privada em um amplo cadastro público.

ATUAÇÃO DO MUNICÍPIO

No último sábado (6/6) a Prefeitura de São Paulo entregou o Hospital Municipal Guarapiranga. Inicialmente, o local funcionará como um equipamento de retaguarda para a região Sul da capital, com atendimento exclusivo de pacientes com síndrome respiratória com diagnóstico confirmado de Covid-19.

Inicialmente serão 30 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 10 de internação. Nos próximos dias, outros 40 leitos serão equipados para entrarem em operação e até a primeira quinzena de julho serão 140 leitos de UTI. Passada a pandemia do novo coronavírus, o Hospital Municipal Guarapiranga será o primeiro da rede especializado no atendimento a pacientes que necessitam de cuidados prolongados.

A CÂMARA DURANTE A PANDEMIA

A Câmara Municipal de São Paulo retoma a partir desta semana, de forma gradual, as atividades presenciais nas sessões ordinárias. Inicialmente, os vereadores poderão registrar presença pessoalmente ou ainda de maneira remota. A proposta é que participe ao menos um representante de cada bancada no plenário físico.

As normas sobre o retorno parcial dos trabalhos legislativos no novo formato foram publicadas no Diário Oficial da Cidade de São Paulo em 30 de maio, por meio do Ato da Mesa Diretora n. 1.471/2020. A retomada das atividades atende às recomendações do Ministério da Saúde e da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Para garantir a segurança dos vereadores e funcionários que retomarem os trabalhos parciais, a Câmara fornecerá máscara de proteção individual, álcool em gel, manterá o distanciamento adequado entre as pessoas e medirá a temperatura de todos que entrarem no Palácio Anchieta, sede do Legislativo paulistano.

A mesma medida de retomada gradual das atividades também vale para as comissões permanentes da Câmara Municipal de São Paulo.

AÇÕES E ATITUDES

A USP (Universidade de São Paulo) está desenvolvendo uma vacina por spray nasal contra a Covid-19. O modelo de imunização, já testado em camundongos contra hepatite B, foi redirecionado para tentar frear a disseminação do novo coronavírus.

A equipe da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, responsável pelo estudo, desenvolveu uma nanopartícula a partir de uma substância natural. Dentro dela, foi colocada uma proteína do vírus.

Uma vez administrada dentro das narinas, espera-se que a vacina auxilie o corpo na produção de anticorpos capazes de prevenir o contágio pelo novo coronavírus. A expectativa é de que além de inibir a entrada do vírus nas células, a vacina impeça a proliferação dele no local da aplicação. Os protótipos da vacina devem ficar prontos em três meses, quando será possível iniciar os testes em animais.

Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também