Brasil ultrapassa 101 mil mortes e 3 milhões de infectados pela Covid-19

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Com o acumulado do final de semana, o Brasil ultrapassou 100 mil mortes e três milhões de casos do novo coronavírus (causador da Covid-19). Segundo informações desta segunda-feira (10/8) disponibilizadas no painel do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), o país totaliza 101.752 vítimas fatais da Covid-19, sendo 703 óbitos registrados nas últimas 24 horas.

Também desde o início da pandemia, o Brasil soma 3.057.470 diagnósticos positivos para a doença. Nas últimas 24 horas, de acordo com contagem do órgão, houve a confirmação de 22.048 novos infectados pelo novo coronavírus.

O número é o mesmo divulgado no boletim diário do Ministério da Saúde desta segunda-feira: nas últimas 24 horas, segundo a pasta, foram 703 mortes e 22.048 diagnósticos confirmados do novo coronavírus, totalizando 101.752 óbitos e 3.057.470 casos da doença desde o início da quarentena.

Epicentro da pandemia no Brasil, o Estado de São Paulo registrou nesta segunda-feira (10/8) 37 óbitos causados pela Covid-19 em 24 horas – no mesmo período, houve 1.289 diagnósticos confirmados do novo coronavírus.

No total, são 25.151 vítimas fatais da doença, com 628.415 pessoas infectadas. Dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 641 cidades, sendo 492 com um ou mais óbitos.

Em relação à capacidade do sistema de saúde do Estado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de de Terapia Intensiva) voltados ao tratamento do novo coronavírus é de 59,1% no Estado e de 57,6% na Grande São Paulo.

Considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal medida de contenção da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social no Estado de São Paulo no último domingo (09/8) foi de 48%, mesmo índice registrado na capital.

Os dados são Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Mais sobre o coronavírus

Em coletiva na última sexta-feira (07/8), o Governo do Estado informou que restaurantes e similares poderão funcionar até as 22h para consumo local somente em regiões que estejam há pelo menos 14 dias consecutivos na fase amarela do Plano São Paulo de retomada das atividades econômicas.

Por conta disso, estabelecimentos das nove regiões de São Paulo que avançaram de fase na atualização da última sexta-feira deverão abrir até as 17h. Avançaram para a fase amarela as áreas dos Departamentos Regionais de Saúde de Araçatuba, Bauru, Campinas, Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, Sorocaba e Taubaté.

Com a atualização, 86% da população do Estado está em regiões localizadas na fase amarela. A capital, as sub-regiões Sudoeste, Sudeste e Leste da Grande São Paulo, a Baixada Santista e a região de Araraquara também estão na etapa amarela.

O consumo local em restaurantes e similares continua permitido apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. Não será permitido que os clientes fiquem em pé. A orientação é que os estabelecimentos atendam os clientes conforme horário agendado previamente, para evitar aglomerações.

A ocupação máxima deve ser de 40% da capacidade dos assentos e o funcionamento precisa ocorrer por no máximo 6 horas diárias, consecutivas ou não.

Atuação do município

A Prefeitura de São Paulo informou, nesta segunda-feira (10/8), que por conta das medidas de segurança adotadas em função da pandemia da Covid-19, este ano a Semana da Juventude vai ser virtual.

Por meio de lives nas redes sociais, a partir desta segunda-feira até sábado (15/8), o evento, que foi criado em homenagem ao Dia Internacional da Juventude, em 12 de agosto, apresenta temas presentes no cotidiano dos jovens das grandes metrópoles, com foco na situação criada pela pandemia do novo coronavírus.

Além da live de abertura, nesta segunda, sobre “Covid-19 e os impactos na juventude”, ao longo da semana serão abordados temas como meio ambiente, violência, drogas, consumo consciente, educação financeira, geração de renda, educação e igualdade racial.

Participam do evento instituições como a Fundação Lemann e Fundação Telefônica (educação); Instituto Caixa Seguradora e Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes – UNODC (drogas) e Fundação Baobá (Igualdade Racial).

A programação cultural inclui shows, também em formato de lives, com música pop internacional e gêneros como MPB e Sertanejo executados por artistas da periferia da cidade de São Paulo, em regiões, como Itaim Paulista, Cidade Tiradentes, Vila Curuçá e Sapopemba. Entre as atrações, estão as cantoras Drik Barbosa e Karol Conka.

Ações e Atitudes

Nesta segunda-feira (10/8), o Governo do Estado anunciou que as doações da iniciativa privada para combate ao novo coronavírus já ultrapassaram a marca de R$ 1 bilhão. Do total, apenas nesta segunda, foram arrecadados R$ 108 milhões. Todos os recursos e serviços doados são aplicados integralmente em estratégias de contenção da pandemia.

Até o momento, 251 instituições contribuíram para auxiliar o Estado no enfrentamento à pandemia. Para garantir a correta destinação dos recursos, todo o processo de recebimento das doações, entrega e aplicação dos recursos é auditado por empresas especializadas.

Desde o início da pandemia, o Governo de São Paulo instituiu uma comissão responsável por organizar doações de entes privados e sociedade civil durante a crise do novo coronavírus. São aceitas doações em dinheiro, serviços e materiais, de acordo com critérios estabelecidos pelas secretarias envolvidas. Mais informações podem ser obtidas neste link.

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também