Programa Marginal Segura será piloto para outras vias, disse diretor do CET

Reunião extraordinária da Comissão de Trânsito e Transporte da Câmara Municipal
Fotos: Luiz França / CMSP


ELDER FERRARI
DA WEB RÁDIO CÂMARA

Convidados pela Comissão de Trânsito e Transportes, nesta quarta-feira (22/3) o secretário Municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avalleda, o diretor-presidente da CET (Companhia de Engenharia e Tráfego), João Octaviano Machado Neto, e o diretor de Planejamento, Sebastião Ricardo Carvalho Martins, estiveram na Câmara Municipal para explicar aos vereadores o aumento da velocidade nas marginais — de 70 km/h para 90 km/h na pista expressa, para carros de passeio.

Os representantes da Prefeitura disseram que o Programa Marginal Segura não se resume ao aumento de velocidade das vias. O secretário Sérgio Avelleda explicou que desde o início da gestão João Dória, as Marginais Tietê e Pinheiros foram adequadas ao conceito de rodovia, e estão sendo estruturadas dessa maneira.

Diretor-presidente da CET, João Octaviano Machado Neto, e o diretor de Planejamento, Sebastião Ricardo Carvalho Martins

“Quando você vai pegar uma rodovia, ela tem um conjunto de ações que garante a sua segurança. Você tem informação, sinalização, fiscalização, você tem o gerenciamento da via. O que nós fizemos foi aplicar todos esses conceitos nas marginais”, disse.

O diretor-presidente da CET acrescentou que o projeto das marginais será piloto para outras vias da cidade no que se refere à segurança. “Nós aplicaremos o conceito da Marginal Segura; a questão da readequação de velocidade é outra discussão. O que queremos é um trânsito seguro”, disse Machado Neto.

Dados divulgados no início do mês indicam que houve 102 acidentes com vítimas, com duas mortes, nas marginais Tietê e Pinheiros entre os dias 25 de janeiro e 23 de fevereiro deste ano. Os dados se referem aos primeiros 30 dias do programa Marginal Segura, que aumentou a velocidade máxima nas duas vias. A média mensal de acidentes com vítimas nas marginais em 2016 foi de 64 ocorrências. Machado Neto explicou que esse aumento nos registros se deve ao aumento do número de operadores nas Marginais. Segundo ele, antes aconteciam acidentes que não eram registrados.

O vereador Alessandro Guedes (PT), autor do requerimento que convidou os representantes da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, disse que não se convenceu com as explicações.

“Eles vieram e apresentaram os dados que não convenceram e eu fiz um requerimento para que eles enviem esses dados para a Comissão de Trânsito. Todos os estudos do planeta indicam que quanto menos velocidade, menos acidente tem”, disse.

O vereador João Jorge (PSDB) discordou de Guedes. “Quer zerar o número de acidentes, tirem os carros das ruas, mas isso não é razoável. Então o melhor é que vias de trânsito rápido, como são as marginais, voltem a ter as velocidades compatíveis, com ressalvas e programas de prevenção ao acidente.”

O presidente da Comissão de Trânsito, o vereador Senival Moura (PT), acredita que foi prematura a vinda dos representantes da secretaria de transportes para dar explicações. “No meu ponto de vista, deveríamos esperar os 100 dias de governo para termos o balanço do governo, e analisarmos o que poderíamos contraditar”, disse.

Durante a reunião extraordinária, o Secretário Municipal de Transportes e Mobilidade Sérgio Avellada desmentiu um boato que vem sendo replicado na internet sobre uma possível ampliação do rodízio municipal de veículos. Segundo ele, isso é mentira e não haverá aumento do rodízio.

Alarme em Caçambas
Logo após a reunião extraordinária, os vereadores da Comissão de Trânsito realizaram a reunião ordinária e aprovaram o parecer ao Projeto de Lei (PL) 125/2016, do vereador Toninho Paiva (PR), que dispõe sobre a obrigatoriedade da instalação de dispositivos de alarme nos veículos com caçamba basculante. O relator do PL na Comissão, o vereador Abu Anni (PV), disse que a ideia é alertar os motoristas quando a caçamba do caminhão basculante estiver levantada. Ele lembrou que vários acidentes desse tipo aconteceram em São Paulo, principalmente nas marginais.

Durante a reunião, os vereadores remarcaram para 1º de abril a audiência pública para debater o Transporte Escolar Gratuito, que em princípio estava marcada para 29 de março.

Veja também