Imunização contra Covid-19 de servidores da Educação, de 18 a 44 anos, e pessoas em situação de rua é antecipada na capital

KAMILA MARINHO
HOME OFFICE

A Prefeitura São Paulo inicia nesta sexta-feira (11/6), a vacinação contra Covid-19 de mais de 85 mil profissionais da Educação, com idade entre 18 e 44 anos. Professores, auxiliares de serviços gerais, limpeza, mediadores, merendeiras, monitores, cuidadores, diretores, vice-diretores, secretários e coordenadores, além de professores de todos os ciclos da educação básica e os professores temporários, estão elegíveis nesta etapa, sejam da educação estadual, municipal, privada ou federal.

Para receber a vacina, todos deverão efetuar previamente seu cadastro no site Vacina Já Educação com número do CPF, nome completo e e-mail. O profissional receberá em seu e-mail o comprovante com um QRCode para verificação de autenticidade. Este código deverá ser apresentado no momento da vacinação, juntamente com documento de identificação e comprovantes de residência e vínculo empregatício na cidade de São Paulo.

Comprovante de Endereço

O comprovante de endereço do município é obrigatório no ato da vacinação em primeira dose. A medida busca garantir a destinação das vacinas aos moradores da capital. Caso o comprovante esteja no nome de algum parente, haverá a necessidade de demonstrar o grau de parentesco.

Postos de Vacinação

– Mega drive-thrus e farmácias: vacinação de primeira e segunda doses. Funcionamento das 8h às 17h;
– Mega postos: vacinação de primeira e segunda doses. Funcionamento das 8h às 17h;
– Unidades Básicas de Saúde (UBS): vacinação de primeira e segunda dose. Funcionamento das 7h às 19h;
– AMA/UBS Integradas: vacinação de primeira e segunda dose. Funcionamento das 7h às 19h.

Para conferir a lista de endereços e outras informações sobre a campanha de vacinação, acesse a página Vacina Sampa.

Outros grupos elegíveis

A partir da próxima segunda-feira (14/6), a Prefeitura de São Paulo irá retomar a vacinação por faixa etária imunizando as pessoas com 58 e 59 anos. Além disso, as equipes do Consultório de Rua irão buscar as pessoas com 18 anos ou mais em situação de rua que ainda não se vacinaram. O anúncio foi feito na quarta-feira (9/6) pelo prefeito Ricardo Nunes e pelo secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, durante uma visita ao Núcleo de Convivência para Pessoas em Situação de Rua São Martinho de Lima, no Belenzinho, na Zona Leste da capital.

O retorno da vacinação pela faixa etária ocorre após a imunização de quase todos os grupos prioritários estabelecidos pelo PNI (Plano Nacional de Imunização). Na cidade de São Paulo são estimadas cerca de 140 mil pessoas entre 58 e 59 anos.

Pessoas em situação de rua

A Prefeitura de São Paulo informou que em fevereiro deste ano, iniciou a vacinação das pessoas em situação de rua. Ao todo, já foram aplicadas 21.754 doses da vacina contra a Covid-19 em pessoas em situação de rua cadastradas nos centros de acolhida da SMADS (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social).

Mais sobre o novo coronavírus 1

De acordo com o boletim diário mais recente publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo sobre a pandemia do novo coronavírus, nesta quinta-feira (10/6), a capital paulista totalizava 31.492 vítimas da Covid-19.

Havia, ainda, 1.199.838 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus. Desde o início da pandemia, 1.511.124 pessoas haviam recebido alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela atenção básica do município.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde, os dados mais recentes mostram que a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 na região metropolitana de São Paulo nesta quinta é de 79,5%.

Já na última quarta-feira (9/6), o índice de isolamento social na cidade de São Paulo foi de 38%. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Mais sobre o novo coronavírus 2

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou a realização de testes em humanos para o desenvolvimento da vacina Butanvac, desenvolvida pelo Instituto Butantan. A Butanvac é um imunizante com tecnologia predominantemente nacional e que, caso obtenha registro, poderá ser fabricada integralmente no Brasil. A agência deu a autorização condicionada à apresentação de dados complementares sobre o andamento das pesquisas.

De acordo com a Anvisa, a pesquisa clínica da Butanvac das fases 1 e 2 terá três etapas, com previsão de participação de 6 mil voluntários. A autorização dada na quarta-feira corresponde à fase A, da qual participarão cerca de 400 pessoas.

Os testes serão realizados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. O Instituto Butantan já produziu 7 milhões de doses do imunizante.

Atuação do município

A Secretaria Municipal da Saúde oferece um serviço de reabilitação e acompanhamento de pessoas que tiveram Covid-19 e ficaram com alguma sequela da doença após a recuperação. A Síndrome pós-Covid pode reunir um ou vários sintomas persistentes, mesmo depois da fase mais aguda da doença, como falta de ar, cansaço, perda de olfato ou paladar, dores no peito, queda de cabelo, entre outros.

Esse acompanhamento realizado desde o início da pandemia de Covid-19 aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) na capital. Pessoas com qualquer sequela de Covid-19 podem procurar uma das 468 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) para solicitar atendimento.

A avaliação médica é realizada por teleconsulta pelas equipes de saúde. Em seguida, de acordo com a necessidade clínica, cada caso é encaminhado à rede especializada do município. Nos casos de sequelas mais leves, que não oferecem tanto impacto às atividades de rotina, o acompanhamento é feito na própria UBS, com apoio de equipes multiprofissionais da Atenção Básica compostas por fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, psicólogo, nutricionista e educador físico.

Já em casos de sequelas moderadas e graves, o atendimento ocorre nos CER (Centros Especializados em Reabilitação), Caps (Centro de Apoio Psicossocial) e ambulatório de especialidades médicas, entre outros serviços, também com apoio de equipe multiprofissional. A reabilitação no domicílio para pacientes acamados que necessitam de pelo menos uma visita semanal e é disponibilizada pela secretaria.

A Câmara durante a pandemia

Na tarde desta quinta-feira (10/6), a Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher realizou sua 11ª reunião ordinária virtual de 2021. Entre os assuntos discutidos, os parlamentares aprovaram requerimento que solicita informações à Secretária Municipal de Saúde sobre quais os critérios utilizados para a distribuição de vacinas na cidade e quais as ações serão tomadas para resolver a desigualdade de acesso apontada.

Também nesta quinta, a vacinação dos profissionais da educação e as negociações para encerrar a greve destes profissionais foram alguns dos temas tratados durante o debate pelo Comitê Emergencial de Crise da Educação, vinculado à Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal.

 

*Ouça aqui a versão podcast do boletim Coronavírus

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também