Estado de SP pede liberação imediata de doses da Pfizer para vacinação de crianças

IARA SILVA
HOME OFFICE

Nesta quinta-feira (16/12), a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo solicitou ao Ministério da Saúde a liberação imediata de doses de Pfizer para vacinação contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos. O imunizante foi aprovado para uso desta faixa etária pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) também na quinta.

“O Governo do Estado tem urgência em avançar na imunização deste público, mas as doses de Pfizer disponíveis atualmente no Brasil diferem em aspectos como composição, dosagem, rotulagem, apresentação e especificações técnicas requeridas para aplicação neste público, conforme instruções do próprio fabricante”, diz a nota de divulgação do governo.

Em menores de 9 anos, os casos de Covid-19 representam apenas 3% do total dos casos no Estado, e de 6,6% na faixa de 10 a 19 anos, com 0,1% dos óbitos para os grupos separadamente. Mesmo assim, a imunização desse público é importante para garantir a segurança de todos.

Também visando à vacinação de jovens e crianças, o Instituto Butantan fez, na quarta (15/12), um novo pedido oficial à Anvisa para uso da Coronavac para quem tem idade entre 3 e 17 anos.

Mais sobre o novo coronavírus 1

De acordo com o boletim diário mais recente publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo sobre a pandemia do novo coronavírus, até esta sexta (17/12), a capital paulista totalizava 39.476 vítimas da Covid-19. Havia, ainda, 1.558.812 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde, os dados mais recentes mostram que a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 na região metropolitana de São Paulo, nesta sexta (17/12), é de 26,5%.

Já na quinta (16/12), o índice de isolamento social na cidade de São Paulo foi de 37%. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Atuação no município

Com as festas do fim de ano se aproximando, a Secretaria Municipal da Saúde fez um importante alerta: os cuidados contra a Covid-19 não podem ser deixados de lado.

Assim como no ano passado, a pasta orienta que protocolos de segurança e prevenção devem ser mantidos durante as confraternizações. Além disso, as pessoas devem evitar aglomerações, manter o distanciamento social e continuar usando máscara e fazendo a higienizando as mãos. Os mesmos procedimentos podem ajudar na prevenção do novo vírus da gripe, o Influenza A (H3N2), que tem crescido na capital nas últimas semanas.

“Só na última semana, houve um aumento significativo de pessoas com síndrome gripal nas unidades de saúde do município. Se alguém apresentar sintomas, encaminhe essa pessoa até uma Unidade Básica de Saúde, para que ela possa ser atendida e, se necessário, testada e atendida em caso de confirmação, evitando que os vírus circulem e contaminem mais gente. Mesmo em reuniões menores, converse com os participantes, fale sobre a importância da prevenção e certifique-se que todos estão com a vacinação em dia.”, aconselhou a secretaria em nota.

Mais sobre o novo coronavírus 2

Em viagem à Brasília na última quarta-feira (15/12), o Governador João Doria (PSDB) apresentou dados que revelam que a Covid-19 deixou de ser a principal doença causadora de mortes no Estado de São Paulo. Os números refletem os resultados do avanço do plano de vacinação.

Em agosto, o Estado alcançou mais de 95% da população adulta com pelo menos uma dose de vacina contra Covid-19, o que acelerou a queda de casos graves e mortes pela doença. Desde então, o número de óbitos vem caindo sucessivamente. No mês de novembro, a Covid-19 representou 12% do total de óbitos registrados em todo Estado, o que faz com que o índice de óbitos por coronavírus seja menor do que o das doenças do aparelho circulatório (27,5%) e de todos os tipos de câncer somados (16,2%).

Em abril, no pico da segunda onda da pandemia, o recorde de vítimas fatais da Covid-19 foi 21.539 óbitos. Nessa altura, a proporção da doença entre as mortes em geral era de 46% de um total de 47.193. Naquele mês, o número de mortes por coronavírus foi três vezes maior que o de doenças do aparelho circulatório e quatro vezes superior ao de vítimas de câncer.

A Câmara durante a pandemia

Em sua última reunião do ano, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Prevent Senior recebeu dois médicos que integraram o departamento de decisões administrativas da prestadora de saúde. Em depoimento, os médicos negaram as acusações de que a decisão de distribuir o Kit Covid, que reunia medicamentos sem eficácia comprovada contra Covid-19, teria partido do chamado Pentágono da Prevent Senior, um departamento criado na operadora no fim de 2019 e que funcionou até meados de 2021 com caráter consultivo.

Os médicos apresentaram um habeas corpus que permitiu o direito de permanecer em silêncio sobre fatos que impliquem em autoincriminação e de não assinar o termo de compromisso legal de testemunha de dizer a verdade. Outro médico era aguardado para depor, mas a Comissão recebeu um ofício justificando a ausência por causa de viagem ao exterior.

Também durante a reunião, o colegiado apresentou um relatório de atividades. Em 2021, a comissão realizou 11 sessões, aprovou mais de 100 requerimentos com convites e pedidos de informação, expediu 111 ofícios e ouviu 35 depoimentos. Os trabalhos da CPI voltam em fevereiro.

 

*Ouça aqui a versão podcast do boletim Coronavírus desta sexta-feira

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também