Comissão da Verdade entrega relatório final

2015-10-26 SOLENIDADE APRES RELATORIO FINAL COMISSAO VERDADE VLADIMIR HERZOG-ABUENO2646ABRE

Relatório tem quase 500 páginas e foi embasado em mais de 80 horas de depoimentos
Foto: André Bueno / CMSP

ROBERTO VIEIRA
DA REDAÇÃO

O Plenário 1º de Maio da Câmara Municipal recebeu nesta segunda-feira a cerimônia de entrega do relatório final da Comissão Municipal da Verdade ‘Vladimir Herzog’, que teve seus trabalhos encerrados em dezembro do ano passado, após dois anos.

O relatório tem quase 500 páginas e representa o resumo do que foi feito pela Comissão, que também reuniu mais de 80 horas de depoimentos.

O presidente da Comissão, Gilberto Natalini (PV), falou sobre a conclusão dos trabalhos e elencou alguns pontos considerados mais importantes no relatório. De acordo com ele, as divergências sobre a morte do ex-presidente Juscelino Kubitscheck foram destaque nos trabalhos.

“Nós achamos que o Juscelino Kubitscheck foi morto num atentado e não morreu em um acidente. Foi a conclusão que nós chegamos, inclusive divergindo da Comissão Nacional, e tem lá 114 quesitos listados que embasam essa decisão, e desta forma hoje entregamos esse resultado para a cidade e para o país”, afirmou.

O relator da Comissão, Mário Covas Neto (PSDB), agradeceu a oportunidade de participar dos trabalhos da Comissão e lembrou na tribuna da prisão de seu pai, o ex-governador Mário Covas.

“Ele ficou 15 ou 20 dias preso, incomunicável, aqui em Cumbica, e minha mãe descobriu que o motivo da prisão era o fato dele ser testemunha em um processo. Isso me chamou atenção, porque se a testemunha era tratada daquele jeito, imagina o réu?”, questionou.

O presidente da Câmara Municipal, Donato (PT), lembrou da importância da cidade de São Paulo esclarecer os fatos obscuros do período de ditadura militar e ressaltou a descoberta da vala clandestina do cemitério de Perus e as investigações da CPI sobre o tema.

“Vinte e dois anos antes da criação da Comissão Nacional da Verdade, a Câmara Municipal de São Paulo deu uma contribuição importante e inédita em jogar luzes sobre esse período nebuloso da nossa história, quando não havia liberdade de expressão, os meios de comunicação eram censurados e os opositores do regime militar eram intimidados ou até mesmo executados”, afirmou Donato.

Também participaram da entrega do relatório os vereadores Ari Friedenbach (PROS), Calvo (PMDB), Dalton Silvano (PV), Eliseu Gabriel (PSB), Toninho Vespoli (PSOL) e Ricardo Young (PPS). O relatório final da Comissão da Verdade está disponível em e-book através do link https://www.saopaulo.sp.leg.br/livrocomissaodaverdade/.

Homenagens

Ao final da cerimônia, a Comissão da Verdade homenageou algumas pessoas importantes que vivenciaram o período da ditadura, entre elas Clarice Herzog (viúva de Vladimir Herzog), Ana Maria do Carmo Silva, Josias Nunes de Oliveira, Serafim Jardim, Luis Felipe (que recebeu em memória de seu pai, o Coronel Erimar Pinheiro Moreira), Lenira Machado, Vicente Sylvestre e Emilio Ivo Ulrich.

Veja também