Encontro discute como enfrentar as crises hídrica e energética

ENCONTRO CRISE HIDRICA E ENERGETICA-31-03-15-ANDRE BUENO-EDIT-7797-72ABRE

Debate foi iniciativa do vereador Natalini (PV), em conjunto com a OAB e a CONDA (Comissão Nacional de Direito Ambiental)                             Foto: André Bueno / CMSP

 

DA REDAÇÃO

Um seminário com especialistas em recursos hídricos, energias e mudanças climáticas discutiu a atual crise hídrica e de energia vivida pelos brasileiros na noite desta terça-feira (31/3), no Salão Nobre da Câmara Municipal. A iniciativa foi do vereador Natalini (PV), em conjunto com a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e com a CONDA (Comissão Nacional de Direito Ambiental).

De acordo com o vereador Natalini, a crise tem três grandes motivadores: causas climáticas com o regime de chuvas, má administração dos recursos hídricos e de energia por parte do poder público e o consumo irresponsável dos recursos por parte da população e da indústria.

Para o vereador, a cidade de São Paulo precisa gerencia a crise colocando em pratica a Política Nacional sobre a Mudança do Clima (PNMC), instituída em 2009 por meio da Lei nº 12.187/2009.

“A lei foi pioneira no Brasil e esta sendo deixada de lado, já pedi inclusive ao Ministério Público que obrigue a prefeitura a cumprir a lei de mudanças climáticas e transforme São Paulo em uma cidade mais arborizada, com córregos mais limpos, com as represas mais protegidas, com mais permeabilidade do solo, com a matriz dos ônibus com menos diesel e com outros tipos de energia, enfim a questão climática é importantíssima. Não depende só de São Paulo, mas tem que começar em algum lugar e devemos cumprir a nossa parte”, afirmou o vereador.

Entre os palestrantes estava o presidente do conselho de sustentabilidade da Fecomercio, professor José Goldenberg, e a diretora executiva da Associação Águas Claras do Rio Pinheiros, Stela Goldensberg. Para o presidente da CONDA/ OAB, Carlos Sanseverino, o debate é uma oportunidade de contribuir para a discussão das crises que acometem todo Brasil.“Esse evento terá como objetivo maior permitir que ao final ofereça-se contribuições efetivas aos nossos governos, tanto municipal como estadual, para que eles reflitam a importância dessas contribuições vindas desses palestrantes e tantos outros aqui presentes, que trazem sua palavra em favor da sociedade e do desenvolvimento sustentável”, afirmou.

O secretário municipal do verde e meio ambiente, Wanderley Meira do Nascimento, falou das ações da secretaria para contribuir com a administração da crise e ressaltou o desenvolvimento do trabalho socioeducativo a favor do consumo consciente da água e da energia elétrica. “Estamos listando todos os parques com nascentes da cidade para que se faça um trabalho de recuperação dessas nascentes, muito mais com cunho de educação ambiental, como também de fornecer a quantidade de água. Acho que a prefeitura deve entrar com bastante força na questão da educação ambiental, discutir o que é água de reuso, como deve ser feita, que tipo de investimento deve ser feito para a cidade, quanto isso irá custar? Se é razoável fazer cada vez mais canalizações distantes? Será que a nossa linha vai ser essa de construir cada vez mais aquedutos ou vamos discutir mais a água de reuso, sobre tudo da indústria?”, finalizou o secretário.

Veja também