Câmara reinstala Comitê Civil de Combate à Dengue

COMITE DE CONTROLE DA DENGUE-FRANCA-26-03-2015-07647-300ABRE

Grupo pretende cobrar iniciativas do poder público para acabar com a dengue   Foto: Luiz França / CMSP


DA REDAÇÃO

A Câmara Municipal de São Paulo reinstalou nesta quinta-feira (26/3) o Comitê Civil de Combate à Dengue. O colegiado, que funcionou de 2004 a 2007 para ajudar a acabar com a epidemia da doença naquele período, será coordenado pelo vereador Natalini (PV), que apresentou a proposta para que o grupo volte a discutir medidas para acabar com o mosquito.

Durante a reunião, estiveram presentes representantes dos governos municipal, estadual e da sociedade civil. “O nosso comitê é para que as pessoas possam trazer denúncias, mas também para pensarmos em como combater a dengue. E, para isso, é necessário que cada cidadão colabore”, explicou Natalini.

Segundo balanço divulgado no início do mês pela Secretaria Municipal de Saúde, São Paulo registrou um aumento de casos notificados — de 1.833 para 7.501 — e confirmados (de 613 para 2.581) de dengue no município em relação ao ano passado. “Tiveram alguns fatores que colaboraram para esse crescimento. O clima muito quente e a pouca variação de temperatura e também a crise hídrica, que fez com que as pessoas passassem”, afirmou a representante da Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde) Bionislawa Ciotek de Castro.

Ela também falou sobre as iniciativas da prefeitura para ajudar no combate ao mosquito. “Temos 2.500 agentes para fazer as vistorias nas casas, mas são três milhões de imóveis em São Paulo. No entanto, de nada adianta fazer as visitar e a pessoas não colocarem em prática as medidas para evitar a proliferação da dengue”, declarou.

O superintendente da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias),  Dalton Pereira da Fonseca, também falou que o governo estadual intensificou as ações para ajudar no combate à dengue. “Contratamos mais 500 funcionários, ou seja, dobramos a equipe para ajudar a fazer as vistorias nas casas. Mas o controle começa com o envolvimento da população, o importante é acabar com o ciclo vetor, com os criadouros”, explicou. “Esse Comitê aqui da Câmara será muito importante para ajudar a orientar a população”, acrescentou.

No estado de São Paulo, até agora, foram registrados mais de 80 mil casos de dengue.

Uma funcionária da secretaria de saúde, que não quis se identificar, participou da reunião do Comitê e apresentou os problemas que eles enfrentam para fazer as vistorias. “Tem muitos imóveis abandonados em São Paulo e não conseguimos entrar nesses locais, mas sabemos que ali tem focos que deveriam ser combatidos. É necessário que o poder público converse mais para que seja permitida a nossa entrada nesses lugares”, pediu.

O coordenador do Comitê achou importante as demandas apresentadas nesta reunião. “Representantes de diversas instituições se comprometeram a ajudar e nosso objetivo é esse, que mais pessoas se comprometam para acabar com esse mosquito”, disse Natalini.

Saiba como colaborar

Para evitar a propagação do mosquito da dengue, é necessário eliminar locais que acumulam água e servem de criadouro.

– Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia;

– Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva;

– Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo;

– Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro;

– Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas;

– Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos;

– Lonas, aquários, bacias, brinquedos devem ficar longe da chuva;

– Entulhos ou sobras de obras devem ser cobertos, destinados ao lixo ou “Operação Cata-Bagulho”;

– Cuidados especiais para as plantas que acumulam água como bromélias e espadas de São Jorge, ponha água só na terra.

Veja também