Audiência em Guaianases debate Orçamento 2020

Neste sábado (26/10), dezenas de moradores dos distritos de Guaianases e Lajeado, na zona Leste da cidade, participaram da segunda Audiência Pública regional do Orçamento 2020. Realizado pela Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo, o debate teve o objetivo de discutir os recursos previstos. Além disso, colher sugestões dos moradores e dos movimentos sociais da região.

O Projeto de Lei 647/2019, de autoria do Executivo, que estima as receitas e fixa as despesas do município para o próximo ano, prevê R$ 68,9 bilhões de orçamento para a cidade. O valor discutido em audiência e orçado para a Subprefeitura Guaianases, em 2020, é de 39,9 milhões. Isso representa aumento de 3,9% comparado ao orçamento deste ano.

Demandas da população de Guaianases

A maioria das reivindicações se concentrou na necessidade de obras que combatam as enchentes. Segundo os moradores presentes à audiência, tanto bairros do distrito de Guaianases como de Lajeado são atingidos por enchentes anualmente, durante o período de chuvas. Diante da proximidade do Verão, eles demonstraram mais preocupação com esse tema na audiência.

Foi este o caso da professora Neide Bezerra. “É só ouvir um trovão que a gente entra em pânico, porque a água leva tudo embora. Muitas vezes móveis comprados desde a última enchente, e que ainda nem terminamos de pagar”, disse Neide. Ela fala por experiência própria: já perdeu móveis e eletrodomésticos, durante uma enchente, e diz que o problema na região é antigo. “Vivo aqui há 55 anos, e isso sempre existiu, só não é visto com a seriedade que precisa”, afirmou a professora.

Antônio Eduardo Barbosa, também morador de Guaianases, reforçou a necessidade de implantar medidas de combate aos problemas decorrentes das chuvas. “Quando a gente escuta no rádio que vai chover, tem que sair guardando todas as coisas de casa”, relatou. De acordo com Antônio, a situação é tão grave que já foram registrados óbitos durante as enchentes.

A melhoria das vias públicas foi outra demanda apresentada por diversos moradores, como no caso do recapeamento das vias públicas. De acordo com André Lobo, servidor público, contar apenas com a Operação Tapa-Buraco não é suficiente. “É só costela de vaca, ondulações. Haja carro pra andar na rua. Só tapa-buraco não dá mais jeito”, argumentou.

Outra reivindicação foi a necessidade de manutenção das calçadas. Com a falta do serviço, moradores relataram situações de risco a que estão expostos. “Esses dias mesmo eu vi um atropelamento de uma senhora, que foi pra rua por causa do péssimo estado da calçada, e foi atropelada”, disse Aprígio Silva, que trabalha como pintor. “Pessoas idosas, crianças, até cadeirantes se arriscam na rua porque não existe nenhuma acessibilidade nas calçadas”, acrescentou Silva.

Drenagem e piscinão

Entre os R$ 39,9 milhões estimados para a Subprefeitura Guaianases, o projeto determina que R$ 7,9 milhões sejam aplicados em serviços de drenagem, com potencial de diminuir os problemas com enchentes. O valor cresceu 262% comparado ao orçado para este ano, que foi de R$ 2,2 milhões. Uma das obras mais esperadas pelos moradores é a construção do piscinão Lajeado, que seria suficiente para aliviar os problemas de enchentes.

De acordo com o vereador Senival Moura (PT), o PL em tramitação não prevê verbas para a execução deste projeto. “É uma reivindicação justa porque o prejuízo e sofrimento por causa das enchentes são grandes. Isso tanto para os moradores quanto para os comerciantes”, disse Moura. Para o vereador, é importante dialogar com o Executivo para garantir os recursos do piscinão Lajeado na peça orçamentária de 2020.

Subprefeito de Guaianases, Guaracy Monteiro explicou que o orçamento previsto é suficiente para atender apenas aos serviços básicos. Ele acredita que, sem uma obra de piscinão, a população enfrentará novas dificuldades com enchentes. “Buscamos diminuir o problema das enchentes com a retirada de lixo, entulho e desassoreamento dos dois rios que cruzam as regiões mais afetadas. No entanto, não sabemos se será suficiente, depende do volume de chuvas dos próximos meses”, afirmou o subprefeito.

Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, o vereador Alessandro Guedes (PT) elogiou a participação popular na audiência, que contou com a presença de 180 pessoas. Segundo o parlamentar, agora é o momento de ouvir as demandas dos munícipes. “Iremos trabalhar naquilo que for possível de incorporar na peça orçamentária a fim de que seja aprovado pelos vereadores. E, posteriormente, sancionado e executado pelo prefeito. Temos que garantir que seja executado o que foi indicado pela população”, afirmou Guedes.

MARIANE MANSUIDO
DA REDAÇÃO

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também