Prefeitura não vê razões para interromper contrato com Consórcio da Feira da Madrugada

Luiz França/CMSP

CPI ouviu o chefe de Gabinete da Secretaria Municipal do Trabalho e Empreendedorismo, Pedro Henrique Somma Campos

ELDER FERRARI
DA WEB RÁDIO CÂMARA

O chefe de gabinete da Secretaria Municipal do Trabalho e Empreendedorismo, Pedro Henrique Somma Campos, disse em depoimento à CPI da Feira da Madrugada, nesta terça-feira (5/12), que não há razões para interromper o contrato com o Consórcio de Compras S.A., que será o responsável por construir o Shopping Popular, no Pátio do Pari, onde hoje está a Feira da Madrugada.

“Até esse momento a Secretaria de Trabalho não foi notificada formalmente sobre alguma irregularidade que inviabilize a continuidade do contrato.”

A interrupção do contrato é uma reivindicação dos comerciantes da Feira da Madrugada, que se recusam a ir para o espaço provisório, chamado de Amarelão.

O representante da Secretaria do Trabalho também confirmou que a intenção da Prefeitura e do Consórcio Circuito de Compras S.A. é interromper os trabalhos da Feira depois do Natal para iniciar a transferência dos comerciantes para o Complexo Amarelo, que fica no mesmo Pátio do Pari, mas do outro lado da linha férrea.

O presidente da Associação Estação Feira da Madrugada, Ananais Rodrigues, o Obama Brasil, que representa dois mil comerciantes, informou que eles não vão deixar a Feira depois do Natal.

“A Comissão de trabalhadores juntamente com a Associação decidiu em ata que nós não vamos deixar a atual Feira da Madrugada para o Amarelão e nem para lugar nenhum.”

Secretária das Prefeituras Regionais

Durante a última reunião ordinária da CPI da Feira da Madrugada, antes da divulgação do relatório final, Somma Campos confirmou que os assuntos da Feira da Madrugada passam a ser de responsabilidade da Secretaria das Prefeituras Regionais.

O Decreto 58.010, que transfere a responsabilidade para outra secretaria, está publicado hoje no Diário Oficial do Município, mas a decisão foi tomada numa reunião inter-secretarial do último dia 14/11.

“É um decreto que transfere da Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo para a Secretaria de Prefeituras Regionais a presidência da Comitê Intersecretarial do Circuito de Compras e as respectivas responsabilidades. Tanto do contrato de gestão, quanto dos deveres relativos a este assunto.”

Recolhimento de Repasse Financeiro à União

Somma Campos também confirmou aos vereadores da CPI que a Prefeitura quitou a dívida que tinha com a União, proprietária do terreno onde está a Feira da Madrugada, com a realização dos pagamentos anuais referentes a 2016 e 2017.

“O contrato de concessão da União com o Município prevê um repasse financeiro anual e a Prefeitura, na semana passada, quitou a dívida de cerca de R$ 5,4 milhões referentes aos anos de 2016 e 2017.”

Relatório Final 

Esta foi a última reunião ordinária da CPI da Feira da Madrugada. O relatório final deverá ser apresentado na próxima terça-feira (12/12) pelo vereador relator Camilo Cristófaro (PSB).

O presidente da CPI, vereador Adilson Amadeu (PTB), disse que os vereadores da comissão fizeram um trabalho eficiente pela sociedade paulistana.

“Ainda falta o relatório final, mas estamos trabalhando todos os dias. São vários volumes que nós vamos entregar ao Ministério Público, para o prefeito, para que todos os secretários que vão continuar cuidando desse assunto possam ter noção de tudo o que foi feito.”

3 Contribuições

Francisco Rodrigues da graça

Se os bombeiros aprovarem um avcb pra o amarelão estão cometendo um grande crime.

Paulo Roberto

A prefeitura vai se arrepender pelo o resto da vida, principalmente o prefeito João Doria. A feira é um comércio popular que deu certo, ali não dá certo shopping, existem infinitos shopping em são Paulo, a maioria vazios, ninguém de baixa renda vai comprar em shopping com tantas coisas de suma importância esse prefeito apoia uma obra faraônica dessa acabando com o emprego de milhares pai de família isso é um absurdo. O Brás vem gente do Brasil inteiro comprar na feira da madrugada eu duvido que dona Maria do interior de São Paulo virá com 100 reais fazer compra dentro de um shopping, isso é loucura ganância é não olhar para os mais pobre ainda bem que essas atividades do prefeito vai acabar com a carreira política dele.

Marcio

O Consórcio não tem nenhuma responsabilidade com os comerciantes, só sabem cobrar os alugueis dos comerciantes. Os banheiros estão um lixo, não tem divulgação na mídia sobre a feira, fecham o portão do estacionamento direto sem nenhuma alegação a não ser de prejudicar os comerciantes que ali estão, cobram estacionamento dos ônibus e vans sendo que antes nunca foi cobrado isso. Falta pessoas para manutenção e segurança.

Contribuições encerradas.

Veja também