Imunossuprimidos com mais de 18 anos começam a receber dose de reforço da vacina contra a Covid-19 na capital

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Nesta segunda-feira (20/9), a capital paulista começou a aplicar a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 em pessoas com mais de 18 anos gravemente imunossuprimidas. Segundo a Prefeitura, a estimativa é de que 18 mil pessoas que já receberam as duas doses ou dose única há pelo menos 28 dias podem participar dessa nova etapa da imunização.

Também teve início nesta segunda-feira a aplicação das doses de reforço para os idosos com mais de 80 anos de idade. Nessa faixa etária, a expectativa é que 144,4 mil pessoas possam receber as doses adicionais.

Para receber a nova dose, é preciso comparecer a um dos postos de vacinação com comprovante de vacinação, documento com foto e comprovante de residência. A disponibilidade de imunizantes por fabricante, para recebimento de segunda dose, e tempo de espera nos pontos de vacinação, podem ser consultadas na página De Olho na Fila.

Mais sobre o novo coronavírus 1

De acordo com o boletim diário mais recente publicado pela Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo sobre a pandemia do novo coronavírus, nesta segunda-feira (20/9) a capital paulista totalizava 37.688 vítimas da Covid-19. Havia, ainda, 1.452.567 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde, os dados mais recentes mostram que a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 na região metropolitana de São Paulo, nesta segunda (20/9), é de 38,3%.

Já no último domingo (19/9), o índice de isolamento social na cidade de São Paulo foi de 43%. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Ações e Atitudes

Um estudo conduzido no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), e publicado na revista Transplantoogy, constatou que pessoas que passaram por um transplante de fígado e depois contraíram a Covid-19 tiveram recuperação mais rápida e processo inflamatório muito menor do que os transplantados de coração ou rim. Por vezes, esses pacientes evoluíram até melhor do que indivíduos não transplantados.

Os pesquisadores analisaram a evolução da Covid-19 em 39 receptores de órgãos. Desse total, 25 receberam transplante de rim, sete de coração e sete de fígado. Os dados foram comparados com outros 25 pacientes com Covid-19 não transplantados (grupo controle), pareados por idade e sem comorbidades. Todos os participantes do estudo foram monitorados diariamente quanto a biomarcadores de infecção pelo novo coronavírus para que a evolução da doença fosse acompanhada. Os voluntários foram divididos por órgão recebido, idade e tempo de transplante.

Segundo os autores do estudo, uma hipótese para essa evolução desigual da doença entre transplantados pode estar na diferente quantidade de imunossupressores utilizados para que o órgão não seja rejeitado.

Eles explicam que transplantes de coração e rim exigem um uso maior de medicamentos imunossupressores que os transplantes de fígado, por exemplo. Com isso, além de constatar que nem todo paciente transplantado reage de maneira igual à Covid-19, o estudo aponta para a possibilidade de testar determinados imunossupressores no tratamento da Covid-19, não necessariamente em pacientes transplantados.

Os pesquisadores ressaltam, no entanto, que a provável relação entre a quantidade de imunossupressores e a evolução da Covid-19 entre transplantados se trata apenas de uma hipótese, que ainda precisa ser investigada com maior profundidade.

*Ouça aqui a versão podcast do boletim Coronavírus desta segunda-feira

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também