Covid-19: Estado de São Paulo tem menor média de internações em 2021 e 288 município não registram óbitos

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

O Governo de São Paulo anunciou, em coletiva realizada no início da tarde desta quarta-feira (21/7) no Palácio dos Bandeirantes, que com o avanço da vacinação, o Estado tem a menor média de internações por Covid-19 do ano de 2021. Segundo a administração estadual, o número de novas internações provocadas pelo novo coronavírus nos últimos sete dias foi o menor contabilizado neste ano. 

Hoje, São Paulo registra 60,19% de ocupação dos leitos de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) destinados à Covid-19 no Estado, totalizando 6.920 pacientes. Esse número está muito próximo do pico da primeira onda, em 2020, quando haviam 6.500 pacientes internados em UTIs em São Paulo, e é bem menor do que o registrado em 1º de abril deste, pico da segunda onda, quando havia 13.150 pessoas internadas em UTI.

O Governo de São Paulo argumenta que a melhora dos índices é reflexo do avanço da vacinação em território paulista, tendo em vista que São Paulo é o primeiro estado com mais da metade da população imunizada com, no mínimo, a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Também reflexo do avanço da vacinação, o Governo do Estado informou na coletiva que 288 cidades (44% dos municípios) de São Paulo não registraram mortes provocadas pelo novo coronavírus na última semana. 

Grávidas e Puérperas

Na coletiva, o Governo de São Paulo anunciou a liberação para os municípios aplicarem a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em gestantes e puérperas que tomaram a primeira dose do imunizante da AstraZeneca.

Dessa forma, a partir da próxima sexta-feira (27/7), as grávidas e puérperas de todo o Estado que tomaram a primeira dose do imunizante da AstraZeneca estarão liberadas para tomarem uma segunda dose, agora da vacina da Pfizer.

Auxílio às famílias vulneráveis

Ainda na coletiva, o Governo do Estado informou que, a partir desta quarta-feira, começa o pagamento da primeira parcela do Programa Bolsa do Povo, através dos programas Vale Gás e SP Acolhe, para 120 mil famílias beneficiárias já inscritas e credenciadas no programa.

Estão habilitadas a receber a primeira parcela de R$ 100 do Vale Gás 104 mil famílias (equivalente a 500 mil pessoas) em situação de vulnerabilidade e que constam no CadÚnico. O Vale Gás pagará R$ 300, divididos em três parcelas, para os beneficiários do programa.

Já outras 15 mil famílias terão direito à primeira parcela de R$ 300 do Acolhe SP. O programa pagará R$ 1.800 por membro falecido às famílias em situação de vulnerabilidade e que constam no CadÚnico. Mais informações estão disponíveis no portal Bolsa do Povo.

Mais sobre o novo coronavírus 1

Segundo dados mais recentes sobre a pandemia do novo coronavírus publicados pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, nesta quarta-feira (21/7) a capital paulista contabilizava 34.781 vítimas da Covid-19. Havia, ainda, 1.329.998 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo.

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Em relação ao sistema público de saúde da região metropolitana de São Paulo, a atualização mais recente destaca que, nesta quarta (21/7), a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados a pacientes com Covid-19 é de 55,7%. 

Considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social na cidade de São Paulo, na última terça (20/7), foi de 38%.

Os dados são do Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Atuação do município

Mais quatro amostras da variante delta do novo coronavírus foram identificadas na capital paulista por meio de uma parceria da Prefeitura de São Paulo com o Instituto Butantan. São duas amostras na Zona Leste, uma na Sul e outra na região Central da cidade.

Os casos são investigados pelas respectivas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da rede municipal e todos os pacientes diagnosticados estão sendo acompanhados por equipes da Secretaria Municipal da Saúde.

O monitoramento das variantes na capital é realizado por meio de cálculo amostral, por semana epidemiológica, com cerca de 600 amostras semanais que seguem para análise do laboratório do Instituto Butantan, do Governo do Estado, onde é realizado o sequenciamento genético. 

A Secretaria Municipal da Saúde também firmou parceria com o Instituto de Medicina Tropical de São Paulo e com o Instituto Adolfo Lutz, que fazem a vigilância com o objetivo de identificar quais cepas circulam pela cidade de São Paulo.

Ações e Atitudes

A variante P.1 do novo coronavírus é capaz de escapar dos anticorpos neutralizantes gerados por resposta imune de uma infecção prévia por outras linhagens do vírus da Covid-19, revelam testes de laboratório. 

A conclusão é de um estudo internacional, com participação de pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo), que analisou amostras do plasma de pacientes que tiveram a doença, e também de pessoas imunizadas pela vacina CoronaVac. 

Os autores da pesquisa enfatizam que os resultados foram obtidos in vitro, não em pacientes, além de o estudo não incluir outros tipos de resposta imune do organismo, reforçando que a vacinação deve ser acelerada. O estudo é descrito em artigo publicado na revista científica The Lancet em 8 de julho.

Em relação à CoronaVac, estudos clínicos mostram que a vacina é eficiente contra as formas graves da Covid-19 reduzindo hospitalizações e mortes. Os pesquisadores lembram que este é o objetivo principal de uma vacina e reiteram que as campanhas de vacinação devem ser aceleradas para evitar que o vírus consiga escapar dos anticorpos gerados pelos imunizantes.

 

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também