Comprovante de vacinação passa a ser exigido para todos que entrarem no Brasil

IARA SILVA
HOME OFFICE

Em nota oficial divulgada na tarde desta segunda-feira (13/12), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que está notificando todos os postos de fronteira, especialmente aeroportos, para a exigência imediata de comprovante de vacinação para viajantes (brasileiros ou não) que entrarem no país. A decisão atende o que foi determinado pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal) no último final de semana.

Com o efeito imediato da medida, a agência fará avaliações pontuais para que passageiros que já estavam em deslocamento ou em trânsito não sejam prejudicados pela falta de prazo de adequação, mas a cobrança já está valendo.

A agência informou também que aguarda uma Portaria Interministerial, elaborada pelo Governo Federal, com mais detalhes e especificações das regras para a entrada de viajantes.

Mais sobre o novo coronavírus 1

De acordo com o boletim diário mais recente publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo sobre a pandemia do novo coronavírus, até esta segunda (13/12), a capital paulista totalizava 39.410 vítimas da Covid-19. Havia, ainda, 1.558.691 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde, os dados mais recentes mostram que a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 na região metropolitana de São Paulo, nesta segunda (13/12), é de 25%.

Já no domingo (12/12), o índice de isolamento social na cidade de São Paulo foi de 44%. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Atuação no município

A cidade de São Paulo ultrapassou, neste fim de semana, 2 milhões de doses de reforço aplicadas na população. A vacinação continua disponível para todos que tem acima de 18 anos e receberam AstraZeneca, Coronavac e Pfizer há quatro meses ou Janssen há dois meses.

Pessoas que receberam a primeira dose em outro país também podem concluir o ciclo vacinal com os imunizantes disponíveis no Brasil. Quem tomou a primeira dose de Moderna pode completar com Pfizer, quem tomou Sputnik pode receber AstraZeneca e quem tomou Sinopharm receberá a segunda dose de Coronavac.

Mais sobre o novo coronavírus 2

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou no último domingo (12/12) mais um caso de Ômicron no Estado de São Paulo. A pessoa infectada é uma mulher de 40 anos, vacinada, moradora de Limeira que viajou em novembro para a África do Sul e França.

O Estado informou também que a paciente está em isolamento domiciliar com sintomas leves e será monitorada pelo Centro de Vigilância Epidemiológica.  Até o momento, este é o quinto caso de Ômicron confirmado em São Paulo. Em todos os casos, os infectados não evoluíram para um quadro grave da doença e estavam com o esquema vacinal completo, o que reforça a importância da imunização.

Desde o dia 26 de novembro, quando a OMS (Organização Mundial da Saúde) definiu a Ômicron como uma nova variante de preocupação do SARS-CoV-2, o Estado registrou uma queda de  24% no número de faltosos da segunda dose. Apesar do recuo, ainda há 2,9 milhões de pessoas que precisam tomar a segunda dose.

Ações e Atitudes

Pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) conseguiram, de forma inédita no Brasil, isolar a cepa da nova variante Ômicron. A notícia foi divulgada nesta segunda (13/12) pelo Governo do Estado de São Paulo.

Agora, amostras da variante serão cultivadas em células e, dentro de duas semanas, serão distribuídas para laboratórios com nível 3 de biossegurança. Posteriormente, pesquisadores de todas as regiões usarão as amostras para detectar a disseminação da variante pelo país. O isolamento da nova cepa permitirá também a avaliação da eficácia das vacinas contra a nova cepa.

O material usado pelos pesquisadores foi coletado do casal de brasileiros, detectado em 30 de novembro, como primeiros infectados com o Ômicron no país.

O grupo de pesquisadores também foi responsável por conseguir isolar e cultivar em laboratório a cepa original do SARS-CoV-2 que chegou ao Brasil no final de fevereiro de 2020.

 

*Ouça aqui a versão podcast do boletim Coronavírus desta segunda-feira

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também