Com mais de 15 mil casos em 24h no Estado, governo antecipa reclassificação do Plano São Paulo para sexta

DA REDAÇÃO

A atualização do Plano São Paulo, prevista para acontecer no próximo dia 5 de fevereiro, será adiantada para a próxima sexta-feira (15/1). O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa do Governo do Estado de São Paulo realizada nesta quarta-feira (13/1).

Nas últimas 24 horas, foram registrados 15.227 novos casos de Covid-19 no Estado. A média móvel de casos, nos cinco últimos dias, está acima de 10 mil e de mortes, acima de 200, números semelhantes aos de agosto de 2020,quando estávamos no pico da pandemia. Na apresentação dos números, o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, informou ainda que ocupação de UTIs no Estado está em 66,3% e em 67,7% e que no final de novembro, a ocupação, em ambos cenários, estava em torno dos 40%.

Coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 falou sobre o Plano São Paulo e sobre a decisão de antecipar a atualização. “Já sabíamos que era uma situação preocupante. Desde novembro, nós assistimos a um crescimento progressivo de casos, internações e óbitos em praticamente em todo o Estado. Tínhamos uma preocupação com o final de ano, feriados e aglomerações. Nós observamos que nos últimos dias continuamos com essa tendência e seria necessário antecipar a reclassificação anunciada na sexta”.

Volta às aulas e tecnologia

Na coletiva, também foram apresentados detalhes sobre a volta às aulas presenciais a partir do dia 1º de fevereiro na rede pública estadual. Para este ano, a administração estadual autorizou a abertura das escolas em todas as fases do Plano São Paulo, obedecendo aos critérios de segurança estabelecidos pelo Centro de Contingência da Covid-19. A resolução estabeleceu retorno de até 35% dos alunos nas fases laranja e vermelha, 70% na fase amarela e 100% na fase verde.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, esclareceu como será esse retorno. “Nas duas primeiras semanas de fevereiro nós já definimos que mesmo aquela que estiver na amarela, no verde ou qualquer outra cor, vamos retornar com no máximo um terço dos alunos, porque vamos focar primeiro no acolhimento, na formação dos nossos estudantes para que eles aprendam o comportamento, e a própria escola vai continuar aprofundando nessa preparação. Nas últimas duas últimas semanas de fevereiro, aí sim, a gente vai para os percentuais diferenciados, de acordo com a classificação das cores”.

Na área de tecnologia, o governo estadual apresentou o programa Conecta Educação, com investimento de R$ 1,5 bilhão em um pacote de tecnologia que inclui a compra de notebooks, desktops, wif-fi, estabilizadores, TVs, entre outros itens para melhorar a conectividade nas 5,1 mil escolas da rede estadual.

Ao todo serão 269 mil notebooks, 87 mil desktops, 61 mil kits do Centro de Mídias (kit com TV, suporte, estabilizador etc), 5,2 mil carrinhos tecnológicos (plataforma de carregamento móvel), 65 mil kits wi-fi com roteador e 3,5 mil tablets educacionais para escolas com alunos portadores de necessidades especiais.

Os detalhes do Conecta Educação podem ser conferidos neste link.

Mais sobre o coronavírus

Segundo dados do boletim diário sobre a pandemia do novo coronavírus publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, nesta quarta-feira (13/1) a capital paulista contabiliza 16.266 vítimas da Covid-19.

Há, ainda, 515.779 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus e 762.568 casos suspeitos sob monitoramento. Até o momento, 743.676 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela atenção básica do município.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo nesta quarta-feira.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde na Grande São Paulo, a atualização mais recente destaca que, nesta quarta, a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 é de 68,3%.

Considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social na cidade de São Paulo, na última terça, foi de 40%.

Os dados são do Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também