Capital encerra a semana contabilizando 31,6 mil mortes por Covid-19

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Segundo dados mais recentes sobre a pandemia do novo coronavírus publicados pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, nesta sexta-feira (11/6) a capital paulista contabilizava 31.607 vítimas da Covid-19. Havia, ainda, 1.204.912 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde da região metropolitana de São Paulo, a atualização mais recente destaca que, nesta sexta (11/6), a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados a pacientes com Covid-19 é de 79,7%.

Considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social na cidade de São Paulo, na última quinta-feira (10/6), foi de 38%.

Os dados são do Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população  e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Mais sobre o novo coronavírus

O Instituto Butantan, na capital paulista, entregou nesta sexta-feira (11/6) mais 800 mil doses da vacina contra o novo coronavírus ao PNI (Programa Nacional de Imunizações), que integram um novo lote de mais 5 milhões de doses a serem liberadas ao longo deste mês.

Com as doses disponibilizadas nesta sexta, o Butantan chega à marca de 48 milhões de vacinas fornecidas ao Ministério da Saúde desde 17 de janeiro, quando o uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O novo lote de 5 milhões de doses está sendo produzido a partir dos 3 mil litros de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) recebidos no último dia 5 de maio. O envase da matéria-prima foi iniciado no dia 27 e terminou na madrugada do dia 30. Parte das doses já envasadas encontra-se em outras etapas do processo produtivo, como inspeção de controle de qualidade.

As doses entregues hoje já contemplam o segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi cumprido em 12 de maio. Um novo lote de 6 mil litros de IFA para a produção de mais 10 milhões de doses deverá chegar a São Paulo até o final deste mês.

Atuação do município

A Prefeitura de São Paulo entregou 65 novos leitos (30 de UTI e 35 de enfermaria) exclusivos para o atendimento de pacientes com complicações decorrentes do novo coronavírus no Hospital Municipal Guarapiranga, na Zona Sul da capital.

Foram investidos R$ 2,6 milhões no local para ampliação do local, que é custeado em parceria com o Governo Federal. Os novos leitos já poderão ser utilizados na próxima semana.

O Hospital Municipal Guarapiranga foi um dos dez entregues para a cidade de São Paulo para o enfrentamento da pandemia. A unidade foi entregue em maio do ano passado e iniciou a operação com 30 leitos de UTI e 10 de enfermaria. Em julho, foi ampliado para 140 leitos de UTI e 23 de enfermaria. Em março, chegou a 160 leitos de UTI e 34 de enfermaria. Com os novos leitos entregues hoje, o hospital passa a contar com 259 leitos, sendo 190 leitos de UTI e 69 de enfermaria.

A Câmara durante a pandemia

O PL (Projeto de Lei) 336/2020, que institui a criação do Programa Visita Virtual aos pacientes internados em decorrência do novo coronavírus na cidade de São Paulo, foi sancionado pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) e passa ser a Lei 17.565, de 8 de junho de 2021.

De autoria dos vereadores Arselino Tatto (PT) e Jair Tatto (PT), a iniciativa tem como objetivo viabilizar o contato entre pacientes internados e seus familiares. Para a implementação do programa, a Prefeitura firmará convênios ou parcerias para aquisição de celulares e tablets e realizará campanhas publicitárias para incentivar a doação destes aparelhos aos estabelecimentos e serviços que integram a Rede Municipal de Saúde

O projeto visa garantir ao paciente a comunicação com seus familiares de forma regular e contínua; atenuando o sofrimento durante o período de internação. Para os autores, a nova Lei é uma forma de garantir os vínculos afetivos do paciente e de acalmar as angústias dos familiares e amigos, amenizando a solidão deste processo tão doloroso e contribuindo para a obtenção de melhores resultados durante o tratamento, visto que o fator emocional tem papel importante neste processo.

*Ouça aqui a versão podcast do boletim Coronavírus

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também