Câmara premia projetos que lutam pela cidadania em São Paulo

Renatto d Sousa
Representantes do Centro de Direitos Humanos de Sapopemba recebem a Salva de Prata
Representantes do Centro de Direitos Humanos de Sapopemba recebem a Salva de Prata

 

A cerimônia foi realizada nesta segunda-feira (11/08) no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo.Conhecido atualmente como Prêmio Betinho de Cidadania, é destinado às organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que mais se destacaram, através de atividades, programas e projetos, na luta pela cidadania no Município de São Paulo.A sessão solene foi presidida pelo vereador Beto Custódio (PT). Fizeram parte da mesa o deputado estadual José Zico Prado, o vereador Paulo Fiorilo (PT) e a Sra. Salete Valesan Camba, representante do Instituto de Análises Sociais e Econômicas (IBASE). Vencedor- Centro de Direitos Humanos de Sapopemba, projeto Pablo Gonzales Olalla (premiado com a Salva de Prata)Criada em 2001, a entidade tem como objetivo a promoção da cidadania dos moradores da região do Sapopemba. O projeto apresentado, Audiência pública Comunitária, atende diariamente 300 mil moradores dos conjuntos habitacionais populares e das 37 favelas da região. Tem como objetivos ser um canal de comunicação e concentrador de esforços dentre os moradores e agentes sociais da região e de ser um instrumento de diálogo entre a comunidade e os agentes estatais buscando superar a violação dos direitos humanos e criar alternativas conjuntas para a superação dos problemas da região.Menções Honrosas- Associação dos Cristãos para Abolição da Tortura – ACAT-Brasil, projeto Apoio as Vítimas de TorturaConstituída em 1999, a associação tem como missão trabalhar para a abolição da tortura e outros tratamentos ou penas cruéis, desumanas e degradantes e a pena de morte sob todas as suas formas em nosso país, colaborando para a sua extinção no mundo todo. Lutar pela garantia dos direitos humanos para todas e todos. O projeto apresentando atende diretamente os presos e seus familiares, famílias de baixa renda e moradores da periferia e tem como objetivo, denunciar a prática da tortura e as mazelas que ocorrem dentro dos estabelecimentos prisionais.– Aldeia do Futuro, projeto Linguagear: rodas de diálogoFundada em 1993 a ONG tem como missão promover atividades educativas, desenvolvendo o potencial de jovens e mulheres de baixa renda. O projeto apresentado foi desenvolvido no bairro de Americanópolis e atende diretamente 180 jovens e indiretamente 1.800 pessoas das comunidades de Vila Clara, Jardim Scaff, Jardim Mirian, Cidade Ademar incluindo 68 favelas do entorno e tem como objetivo preparar os jovens para que sejam bem sucedidos nas relações interpessoais como cidadãos solidários e participativos, por meio de um espaço de aprendizagem que garanta um processo de formação integral e cidadã.– Circulo de Trabalhadores Cristãos de Vila Prudente, projeto Pólo de Prevenção à Violência Doméstica e Sexual de Vila PrudenteConstituída em 1940, a entidade e tem como missão instrumentalizar o ser humano, moral, técnica, cultural e materialmente para ele seja o agente e protagonista de seu próprio desenvolvimento e de sua comunidade. O projeto apresentado atende diretamente 2.306 crianças e adolescentes, pais e funcionários e indiretamente 9.904 pessoas das comunidades da região e tem como objetivo desenvolver ações de prevenção da violência sexual infanto-juvenil, por meio da mobilização e articulação de lideranças locais da comunidade.– Associação de Moradores do Jardim Santa Lúcia e Adjacências, projeto Presença Social nas RuasFundada em 2000, a associação tem como missão o atendimento de crianças, jovens e idosos em atividades de lazer, cultura, recreação, esporte e meio ambiente pela promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e de outros valores universais. O projeto apresentado é destinado a crianças e adolescentes em situação de/na rua e trabalho infantil e adulto em situação de rua, bem como atendimento telefônico ininterrupto. O trabalho é desenvolvido a partir do contato direto dos agentes de proteção social com o público beneficiado e no atendimento telefônico de todos os munícipes em situação de exclusão ou violação de direitos.Herbert de SouzaNo dia 09 de agosto de 1997 o Brasil perdia Herbert de Souza, o Betinho. Mineiro, nascido na cidade de Bocaiúva em 3 de novembro de 1935, se formou em Sociologia e Política, e Administração Pública na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade de Minas Gerais em 1962.Portador de Hemofilia, em 1986 descobriu ter contraído o vírus da AIDS durante uma das transfusões de sangue que fazia com freqüência, devido à doença. Betinho, sempre foi defensor da democracia, da igualdade de direitos e um exemplo de luta contra a AIDS. Entre seus principais feitos, está a criação da ONG Ação da Cidadania contra a fome, a miséria e pela Vida, que visa a luta por um país mais justo e humano. Vencedores das edições anteriores1999 Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo2000 – Grupo de Trabalho e Pesquisa em Orientação Sexual (GTPOS)2001 Direitos Humanos em Cena da Parceria “Teatro nas Prisões”2002 União dos Núcleos, Associações e Sociedade de Heliópolis e São João Clímaco (Unas)2003 – Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC)2004 – Centro de Educação, Estudos e Pesquisas (CEEP)2005 Crédito Popular Solidário Projeto São Paulo Confia.2006 – Associação de Mães e Amigos da Criança e do Adolescente em Risco (Amar)2007 – Associação profissionalizante BM&F

Imagens para download:
Renatto d Sousa
11ª edição do Prêmio Betinho de Cidadania
Renatto d Sousa
11ª edição do Prêmio Betinho de Cidadania

Veja também