Brasil fecha a terça-feira com 1,1 mil mortes e 51,7 mil casos de Covid-19 em 24h

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Segundo dados do painel do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), o Brasil registra nesta terça-feira (04/8) 1.159 óbitos e 51.768 casos confirmados do novo coronavírus (causador da Covid-19) nas últimas 24 horas. Na contagem do Conselho, desde o início da pandemia o país teve 95.819 mortes e 2.801.921 infectados pela doença.

O boletim diário do Ministério da Saúde traz os mesmos dados: 1.159 óbitos e 51.768 novos casos confirmados do novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 95.819 mortes e 2.801.921 infectados pela doença desde o início da pandemia no país.

Considerado epicentro da pandemia no Brasil, o Estado de São Paulo registrou, nesta terça-feira (04/8), 23.702 vítimas da Covid-19, sendo 337 óbitos registrados nas últimas 24 horas.

Há, ainda, 575.589 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus – aumento de 15.371 novos diagnósticos entre segunda e terça-feira. Dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 640 cidades, sendo 473 com um ou mais óbitos.

Na última segunda-feira (03/8), o isolamento social no Estado de São Paulo chegou a 43%, mesmo índice registrado na capital. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Mais sobre o coronavírus

Na última sexta-feira (31/7), a cidade de São Paulo recebeu uma doação de 3 mil máscaras descartáveis e cem aventais médicos da República de San Marino. A ação foi articulada pela Agência Brasileira de Cooperação, vinculada ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil, em coordenação com o governo samarinês e com a área internacional da Prefeitura da capital.

A República de San Marino é considerada uma das mais antigas do mundo; o Estado possui área territorial de aproximadamente 61km² e 34.232 habitantes. As relações bilaterais entre o Brasil e San Marino começaram em 1984, e a cooperação educacional entre os dois países é parte importante da pauta bilateral.

Atuação do município

Na última segunda-feira (03/8), foram contabilizados 38.438 visitantes nos 70 parques municipais abertos para visitação pública. Desde 13 de julho, 70 dos 108 parques municipais foram reabertos com medidas de restrição de público e estabelecimento de medidas de higiene.

Os parques do Ibirapuera, Carmo, da Aclimação e Independência funcionam com horário diferenciado: das 6h às 16h. Os demais parques estão abertos das 10h às 16h.

Além disso, os parques municipais do Ibirapuera, Carmo, Burle Marx e Povo ganharam uma novidade: foram pintados círculos nos gramados, com cerca de 2,5 e 3 metros de diâmetro. O principal objetivo é orientar os frequentadores sobre o distanciamento necessário neste período de pandemia.

A Câmara durante a pandemia

Nesta terça-feira (04/8) a CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa) da Câmara Municipal de São Paulo realizou Audiência Pública semipresencial para discutir o PL (Projeto de Lei) 452/2020, de autoria do Poder Executivo, que estabelece medidas para o retorno às aulas presenciais na cidade.

Na audiência, o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, disse que não existe previsão de data para retorno das aulas presenciais da rede pública em São Paulo, porque a prioridade é estabelecer medidas de planejamento para a reabertura das escolas que acontecerá somente quando houver orientação positiva dos profissionais de saúde.

Bruno Caetano reiterou afirmações que fez em audiências e reuniões anteriores de que o PL não define o momento da volta às aulas, porque aguarda a recomendação das autoridades sanitárias. Por outro lado, o objetivo do texto é estabelecer medidas que garantam o adequado planejamento estrutural e pedagógico para o retorno.

O projeto ainda cria programas de auxílio para a compra de materiais escolares e uniformes, e sugere medidas assistenciais de saúde aos alunos e profissionais da educação. A proposta também permite a contratação de professores e auxiliares técnicos em até 20% do quadro de funcionários, e autoriza a aquisição de vagas em escolas particulares de ensino infantil na cidade de São Paulo.

Bruno Caetano garantiu que o prefeito Bruno Covas pediu que houvesse participação da secretaria em todas as discussões, por isso foram realizadas reuniões com todas as Diretorias Regionais de Ensino, além de diálogo com os representantes sindicais e o Conselho de Alimentação Escolar.

O secretário ainda reforçou que deve ser realizado um inquérito sorológico com os estudantes da rede pública a respeito da Covid-19, para que ao final desse levantamento haja mais elementos para tomar a melhor decisão sobre o cronograma de retorno. O levantamento deve ser finalizado no fim do mês de agosto e, até lá, nenhuma mudança vai ocorrer por parte da Prefeitura.

Ações e Atitudes

Mesmo com várias evidências sobre a Covid-19 sendo acumuladas ao longo desses meses, muitas dúvidas ainda estão para serem respondidas, como a origem dos vários microcoágulos encontrados durante autópsia no pulmão de indivíduos que morreram em decorrência da doença.

Uma das hipóteses já levantada pela comunidade científica é que os coágulos podem ser resultado do longo tempo de internação dessas pessoas em terapia intensiva, que pode levar à disfunção de múltiplos órgãos, consequência de uma espécie de sepse (infecção generalizada), causada pela Covid-19.

Agora, imagens da circulação sanguínea embaixo da língua de pacientes internados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (Universidade de São Paulo) mostram a presença desses microcoágulos desde a fase inicial da insuficiência respiratória aguda, o que aumenta a chance desses pequenos trombos participarem do processo de instalação da doença.

Dessa forma, as imagens desses pequenos coágulos levantam a hipótese de que a Covid-19 tem um importante comprometimento vascular, principalmente do endotélio, a camada que reveste os vasos, que parece ser o responsável pela formação desses coágulos.

As imagens foram feitas em 13 pacientes em estado grave, no primeiro dia de internação, no início da manifestação aguda da insuficiência respiratória. Em 11 deles, 85%, foram detectadas as falhas de enchimento. Apesar disso, pesquisadores ainda procuram mais comprovações e evidências para reformar o papel importante desses pequenos coágulos no desencadeamento da doença.

A pesquisa que estuda a hipótese da relação entre a Covid-19 e a formação de coágulos teve apoio da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

 

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também