Brasil abre agosto com 94,6 mil mortes por Covid-19

DANIEL MONTEIRO
HOME OFFICE

Segundo informações desta segunda-feira (03/7) disponibilizadas no painel do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde) sobre a pandemia do novo coronavírus no (causador da Covid-19) no Brasil, o país registrou nas últimas 24 horas 556 mortes pela doença, totalizando 94.660 vítimas fatais da Covid-19.

No mesmo período, de acordo com contagem do órgão, houve a confirmação de 16.476 novos infectados pelo novo coronavírus. Desde o início da pandemia, o Brasil já soma 2.750.153 diagnósticos positivos para a doença.

O número é o mesmo divulgado no boletim diário do Ministério da Saúde desta segunda-feira: nas últimas 24 horas foram 556 mortes e 16.476 diagnósticos confirmados do novo coronavírus, totalizando 94.660 óbitos e 2.750.153 casos confirmados da doença desde o início da quarentena.

Epicentro da pandemia no Brasil, o Estado de São Paulo registrou nesta segunda-feira (03/8) 48 óbitos causados pela Covid-19 em 24 horas – no mesmo período, houve 1.533 diagnósticos confirmados do novo coronavírus. No total, são 23.365 vítimas fatais da doença, com 560.218 pessoas infectadas.

Em relação à capacidade do sistema de saúde do Estado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) voltados ao tratamento do novo coronavírus é de 61,6% no Estado e de 59,9% na Grande São Paulo.

Considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal medida de contenção da pandemia do novo coronavírus, o isolamento social no Estado de São Paulo no último domingo (03/8) foi de 51%, mesmo índice registrado na capital.

Os dados são Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Mais sobre o coronavírus

Pela segunda semana consecutiva, o Estado de São Paulo registrou redução nos índices de óbitos e internações por coronavírus. Segundo anúncio do Governo do Estado nesta segunda-feira (03/8), a diminuição no número de mortes chegou a 8%.

De acordo com a administração estadual, na semana de 19 a 25 de julho, o Estado registrou um total de 1.870 óbitos por coronavírus. Já entre os dias 26 de julho e 1 de agosto, o número caiu para 1.719, o que significa queda de 8% nas estatísticas e 151 vítimas fatais a menos. A comparação entre os períodos de 12 a 18 de julho e de 19 a 25 de julho, já havia apontado redução de 4% nas mortes.

São Paulo também registrou queda de 2,5% no número de internações de pacientes infectados. Entre os dias 15 e 25 de julho, 12.874 pessoas foram internadas com coronavírus em todo Estado. Na semana subsequente foram registradas 12.551 internações, ou seja, 323 pacientes a menos.

A comparação entre as semanas de 19 a 25 de julho e 12 a 18 de julho já havia indicado queda nas internações. A redução havia sido de 4% na cidade de São Paulo e também de 4% no Estado.

Além das informações gerais do Estado, os dados divulgados hoje apontam redução de 5% tanto para óbitos quanto para internações na capital. Na Região Metropolitana de São Paulo houve queda de 2% nas internações e de 29% nos óbitos. Já no interior, as internações caíram 1% e as mortes reduziram 5%.

Atuação do município

Diariamente, até a próxima sexta-feira (07/8), a Prefeitura de São Paulo, em ação conjunta com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), GCM (Guarda Civil Metropolitana) e do Comando de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar, realiza blitzes educativas com enfoque na prevenção da Covid-19.

As ações de conscientização ocorrerão sempre das 7h às 9h, em ruas e avenidas das zonas norte, sul, leste, oeste e centro da capital. A medida tem caráter preventivo e também é uma forma de conscientizar a população sobre os riscos da doença.

A intervenção possibilita a exibição de mensagens por profissionais de saúde aos motoristas, lembrando sobre as medidas essenciais para prevenir a disseminação da doença. A CET também colocará um painel móvel em cada um dos locais com a mensagem “previna-se do coronavírus, use máscara”.

Ações e Atitudes

Um método, descrito por pesquisadores brasileiros em artigo em uma plataforma on-line, permite diagnosticar a Covid-19 em cerca de 20 minutos, com baixo custo e sem a necessidade de reagentes importados. O estudo ainda não teve revisão por pares.

O sistema usa algoritmos de inteligência artificial capazes de reconhecer em amostras de plasma sanguíneo de pacientes um padrão de moléculas característico da doença. Segundo os autores, também é possível identificar, entre os casos confirmados, os indivíduos com maior risco de desenvolver manifestações graves, como insuficiência respiratória.

De acordo com os pesquisadores, nos testes feitos para validar a metodologia, foi possível diferenciar as amostras positivas e negativas com um acerto de mais de 90%. Também houve a diferenciação entre casos graves e leves com acerto em torno de 82%. O método, agora, está iniciando processo de certificação junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O exame, quando em operação, poderia custar em torno de R$ 40 por amostra, cerca de metade do preço de custo do RT-PCR, método considerado padrão-ouro para diagnóstico da Covid-19.

O projeto é apoiado pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e envolve pesquisadores da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e da USP (Universidade de São Paulo), além de colaboradores no Amazonas.

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também