Cetesb afirma que USP-Leste não cumpriu exigências na construção de campus

A Comissão Parlamentar de Inquérito, da Câmara Municipal, que investiga áreas contaminadas no município ouviu, nesta terça-feira, representantes da Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental).

Eles prestaram esclarecimentos sobre a contaminação do solo da USP-Leste e dos terrenos remanescentes da EMEF Clovis Graciano e EMEI Vicente Paulo da Silva, localizados na zona norte da capital.

Atualmente o Campus da USP-Leste está interditado pela justiça para evitar que estudantes fiquem expostos a contaminação.

Segundo Elton Gloeden, gerente de áreas contaminadas da Cetesb, a USP não cumpriu as especificações exigidas na licença de construção e que a solução é retirar o metano acumulado e fazer a manutenção do solo.

Quanto as escolas, Elton explicou que o terreno foi doado pela Cohab (Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo) e que as escolas foram fechadas em 2011.

O vereador Aurélio Nomura (PSDB) explicou que a CPI vai convidar representantes da USP para que expliquem porque não investigaram a procedência do material recebido para fazer o aterramento do terreno.

A próxima reunião da CPI das áreas contaminadas está marcad para a próxima terça-feira, dia 03 de junho.

 


(27/05/2014 – 15h08)

Este é um espaço de livre manifestação. É dedicado apenas para comentários e opiniões sobre as matérias do Portal da Câmara. Sua contribuição será registrada desde que esteja em acordo com nossas regras de boa convivência digital e políticas de privacidade.

Nesse espaço não há respostas - somente comentários. Em caso de dúvidas, reclamações ou manifestações que necessitem de resposta clique aqui e fale com a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo.

 Deixe a sua contribuição:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também